31.8.05

Poema de: Classix Nouveaux

Guilty

Don't say a word, I know what you're thinking
It's plain to see
I see my opportunities shrinking
In front of me
I know you've made up your mind
But don't say
Although I know of no crime
It's the same

Guilty, guilty, you've found me guilty...

I wonder why you haven't the time for
The reasons why
To hear the truth might alter your mind or
Open your eyes
I know you've made up your mind... Guilty...

Classix Nouveaux, Night People, 1981

Este ano já é para aí o terceiro dia dos blogues ou dos blogueiros ou dos afins. Mas enfim, que seja, porque não? O que a malta precisa é de festas...

31og Day 2005

A psico-barragem (no mail de Galarza)

Eis mais um belo exemplar chegado esta tarde à galárzica caixa e-postal:

«O Psicodam sempre empenhado em promover o bem estar do indivíduo, envia a todos os interessados mais uma forma de se conhecerem a si próprios, pela sua caligrafia! Faça o teste, não é demorado e oferece alguma precisão!
Obrigada a todos aqueles que com o mesmo empenho, nos fazem chegar instrumentos interessantes!
»

Abaixo, depois dos educados cumprimentos, segue este link.

Nós, humíldios The Galarzas, agradecemos também a todos aqueles que, com o mesmo empenho, nos fazem chegar instrumentos interessantes. Um bem-haja e meio.

Ha! Ha! Ha! O que nós nos rimos com o Bandeira de hoje!

Cravo e Ferradura
Mais Bandeiras, ao vento...

Desportivismo, lesbianismo, sado-masoquismo ou sensacionalismo?

«Bychkova 'morde' Kuznetsova»

- título de uma notícia da secção de Desporto do DN de hoje. «Bichecóva morde Kusnétsova». Assim. Sem mais...

Fim d'Agosto. Fim do CBGB?

«O mais histórico clube rock de Nova Iorque pode fechar.

Patti Smith, Talking Heads, Ramones, Blondie, Television, Suicide, Richard Hell... Todos eles nasceram publicamente no pequeno palco do frequentemente lotado CBGB, o mais mítico clube de rock nova iorquino. O mesmo clube que, 30 anos depois de ser maternidade do punk, vê hoje chegar ao fim o contrato de aluguer do espaço que ocupa no número 315 da Bowery, sem sinal de vontade do senhorio (o Bowery Resident's Comitee) em renovar o acordo, dado o acumular de três anos de renda por pagar. Nova Iorque corre o risco de perder um dos seus lugares de romaria pop, apontado pela Municipal Arts Society como candidato a um processo de inscrição como património da cidade, paredes "imundas" de tanto graffiti e inclusive flyers colados. No seu site, a associação compara mesmo a importância histórica e cultural do clube ao histórico Plaza Hotel. (...)
»

[Nuno Galopim, in DN]

Save CBGB
Country, Bluegrass & Blues (& Other Music For Uplifting Gormandizers)

Fim d'Agosto. Finda a gosto! [iii]

Hoje é a última galarzaria agrafada nas bordas do hebdomadário colorido. Vamos com a sensação de ter estado a cozinhar para o dromedário.
Para celebrar vamos cuspir no chão, limpar a bosta agarrada aos pés nos tapetes da saída, fazer troça da secretária míope, e largar o lixo no chão.

Fim d'Agosto. Finda a gosto! [ii]

FOCUS: Agora sem os Galarzas!
Sai hoje. É a última em tom Galarza. A todos, um trá-lá-lá.

Fim d'Agosto. Finda a gosto! [i]

Eu gosto é do Verão...

Agora que s'acabou o Agosto, é que descobrimos o hotel da nossa referência...

É o
Mónica Isabel Beach Club
e, pelo que aqui se diz, parece que deve ser... enfim... bom...?

Cá p'ra nós, o que nos interessa é o nome do casario. Diz fonte amiga e amiga de fonte próxima de um dos Galarzas (que já lá esteve e até gostou) que o Mónica Isabel Beach Club se chama assim porque assim se chama a filha do dono. Ó que bonito! E ó se a filha do dono se chama Eleutéria Segismunda. Ou Kátia Vanessa. Ou Maria Carina. Ou Efigénia Idalina... Já estamos a imaginar: o Eugénia Judite Beach Resort... o Maria dos Anjos Golf Club... ou, porque não e é da moda, o Maria Albertina Concert Hall. Essa é que era d'homem!

Este é que devia ser o Candidato, II

As próximas eleições presidenciais estadunidenses estão a aquecer... Depois de Christopher Walken, eis a mais recente candidatura anunciada:

MacGyver 2008

Por deus, a dúvida, a dúvida...

30.8.05

Aviso Solar

Senhora e senhore i-leitor:

Não deixe os seus chinelos novos passarem por longos períodos de exposição solar.
O chinelo novo, em contacto excessivo com a radiação solar, sofre graves consequências ao nível da sua estrutura e arrisca-se a desmantelar-se muito antes do prazo de validade previsto, tornando-se obsoleto, obscuro e inútil.
Não deixe que os seus chinelos novos vão para o primeiro direito do prédio nem para a lixeira municipal.

Edital

Votação para a data da próxima Reunião Magra dos The Galarzas, para discutir, projectos para o futuro e desagrafar do pasquim do Black Adder

Perguntou-se por SMS a um grupo de Galarzas representativos da Assembleia:

"Reunião: Amanhã ou 6ª feira?"

Os votos/resposta não tardaram a surgir na nossa central estação, assim ordenados:

Quinto Galarza: "6ª"

Xis Galarza: "Amanhã. Sexta tenho marcada uma lobotomia."

Septeto Galarza: "Sexta feira."

Cesto Galarza: "6ª f."

Mestre Til Krassman: "Eh, pá, se calhar é melhor sexta feira, que eu não estou nada fixe. Ainda estou a ressacar e não é da vinhaça: é da rádio e aquela merda toda."

Sr. Embaixador: "Desde que não seja na quinta para mim é igual."

Quarto Galarza: "'Tá bem, pronto, pode ser sexta."

Primo Galarza: "6ª"

A hipótese votada por uma maioria absoluta foi a de sexta feira. Portantos, meninos e meninas, lá para a noite do dia um de Setembro iremos a acariciar-nos e a pagar as quotas da Galarxa em atraso.

O Presidente do Comité Lateral

FIM



Acaba-se amanhã a colaboração desta agremiação com a revista acima grafada.

29.8.05

O Autocarro



Pedimos paranóias às pessoas injustamente envolvidas neste caso sórdido. Às outras: que esperem pelo autocarro das três e meia.

Um saravá ao senhor Cona

«A revista New Yorker vai ter um novo director a partir do mês de Setembro. Louis Cona, até agora director da Vanity Fair, foi o eleito pelo grupo editorial Condé Nast para suceder no cargo a David Carey, jornalista que assumiu esta semana novas funções na editora, no âmbito do projecto de lançamento de uma nova revista de informação económica. A passagem de Louis Cona para a direcção da New Yorker implicou entretanto a nomeação do ex-director da revista Cargo, Alan Katz, para a direcção da Vanity Fair.» - Meios e Publicidade

Afinal, o que mais gosto em ti

Amor
AMOR

    Ela: Você me ama mais do que tudo?
    Ele: Amo.
    Ela: Paixão, paixão?
    Ele: Paixão, paixão mesmo.
    Ela: Mais do que tudo no mundo todo?
    Ele: No mundo todo e fora dele.
    Ela: Não acredito.
    Ele: Faz um teste.
    Ela: Eu ou fios de ovos.
    Ele: Você, fácil.
    Ela: Daqueles com calda grossa, que a gente chupa o fio e a calda escorre pelo queixo.
    Ele: Prefiro você.
    Ela: Futebol.
    Ele: Não tem comparação.
    Ela: Você esta caminhando, vem uma bola quicando, a garotada grita "Devolve tio!" e você domina, faz dezessete embaixadas e chuta com perfeição.
    Ele: Prefiro você.
    Ela: Internacional e Milan em Tóquio pelo campeonato do mundo, passagem e entrada de graça.
    Ele: Você vai junto?
    Ela: Não.
    Ele: Pela televisão se vê melhor.
    Ela: Faz muito calor. Aí chove, aí abre o sol, aí vem uma brisa fresca com aquele cheiro de terra molhada, aí toca uma musica no rádio e é uma nova do Paulinho. É Sexta-feira e a televisão anunciou um Hitchcock sem dublagem para aquela noite... e o Itamar está dando certo.
    Ele: Você.
    Ela: Voltar a infância só pra poder pisar na lama com o pé descalço e sentir a lama fazer squish entre os dedos.
    Ele: Você, longe.
    Ela: A Sharon Stone telefona e diz que é ela ou eu.
    Ele: Que dúvida. Você.
    Ela: Cheiro de livro novo. Solo de sax alto. Criança distraída. Canetinha japonesa. Bateria de escola de samba. Lençol recém-lavado. Hora no dentista cancelada. Filme com escadaria curva. Letra do Aldir Blanc. Pastel de rodoviária.
    Ele: Você, você, você, você, você, você, você, você, você e você, respectivamente.
    Ela: A Sharon Stone telefona novamente e diz que se você se livrar de mim ela já vem sem calcinha.
    Ele: Desligo o telefone.
    Ela: Fama e fortuna. A explicação do universo e do mercado de commodities, com exclusividade. A vida eterna e um cartão de credito que nunca expira.
    Ele: Prefiro você.
    Ela: Uma cerveja geladinha. A garrafa chega estalando. No copo, fica com um quarto de espuma firme. O resto é ela, só ela, dizendo "Vem".
    Ele: Hummm...
    Ela: Como, hummm? Ela ou eu?

    ...Silêncio de 5 segundos...

    Ele: Qual é a marca?
   Ela: Seu cretino!

Luís Fernando Veríssimo

Quem tem lobos calça-lhes as botas!

Hoje tive um inimigo meu para jantar cá em casa. Não sou comedor muito dado às carbonaras, massas em geral, italianadas gastronómicas, ou mesmo qualquer coisa que se pareça vagamente exótica ou que eu não consiga identificar à primeira vista, mas como não sou muito mal educado aceitei que fosse ele a trazer a refeição já preparada: uma lasanha de carbonara, acho que era esse o nome da coisa, e uma salada com umas plantas estrangeiras. Tudo bem - não me fez cócegas no estômago e, até agora, a digestão corre normalmente.

Foi uma noite simpática. O meu inimigo fez-me algumas juras de morte, eu tentei envenenar-lhe o digestivo com ácido moriático, insultámo-nos e, para não perder a forma, telefonámos a uns tipos da nossa confiança para que nos tentem matar. Vai ser divertido passar os próximos dias a olhar para trás, à espera de uma facada, de uma carga mal colocada num camião ou de um empurrão acidental na plataforma da estação de comboios.

Estivémos a discutir um bocado de política e chegámos à brilhante conclusão que é uma coisa que não nos interessa rigorosamente nada. Decidimos que só um de nós é que vai votar nas próximas eleições para poder irritar o outro.

Este é bem capaz de ser o meu melhor inimigo. Se não acreditam, olhem que, enquanto estava a escrever isto, comecei a sentir-me um bocado mal, de modo que vou chamar uma ambulância e vou ao hospital fazer uma lavagem ao estômago.

Espero que ele só se aperceba que eu aproveitei o pretexto de ir à garagem buscar a velha espingarda para lhe desapertar as porcas num pneu da frente do carro dele, quando for tarde demais e já esteja perfeitamente descontrolado na Auto-Estrada a alta velocidade.

É bom quando conseguimos resolver as nossas divergências com as pessoas através do ódio, da destruição e do medo.

Who's back

Este menino e esta menina já filmam a nova série de Doctor Who. Digam lá se não têm bom aspecto?

Para acabar o fds, um pensamento

28.8.05

O livro que Paulo Portas não leu

The Complete Idiot's Guide to Submarines

«How to defend yourself against a man armed with a banana!» (*)

«How to Eat a Banana

1. Take out a banana.
2. Peel off the skin.
3. Eat the banana. You can have it whole, or slice it and put it in a bowl of milk and have it for breakfast. Add strawberries for flavor!
4. Throw the skin away.
»

Ah, como é útil a internéte...

Ouvido na rua

«Agora não estou com roupa para fumar charros na rua...»

Como dizia Monsanto Guedes...

...«Pizza que é Pizza, é Pizza!»

Saturday Night Fever

Agora sei o que é que é a Febre de Sábado à Noite. Literalmente. Pôrra mais à pôrra da gripe!

..."E a morte nunca o tempo a redime"...

27.8.05

Notícias do Futebol

- Em Poza Rica, México, uma senhora de 71 anos deixou cair o saco de compras em que carregava o rol de bens para uma semana de consumo, depois de ter avistado um camponês queimado por uma descarga de um poste de electricidade mal mantido, que lhe provocou um susto sem maiores prejuízos.

- Em Matola, Moçambique, o proprietário de um estabelecimento comercial matou uma galinha para fritar com tomate que foi consumida com os amigos.

- Em Bernalda,no Sul de Itália, um homem de 28 anos queixou-se que "as coisas já não são como eram dantes".

- De Dublin, República da Irlanda, chega-nos a notícia de um estudante de medicina que se recusou a responder a uma pergunta feita por um turista. De acordo com informações recolhidas há instantes, uma fonte que prefere não ser identificada refere que o estudante não compreendeu a pergunta do estrangeiro.

- Em Porto Santo, arquipélago da Madeira, um que finge que é maluco gritou.

- À porta de um bar em Gardhabaer, na Islândia, um desacato entre clientes terminou dois dias depois numa grande festa de casamento.

- Em Aradas, distrito de Aveiro, um trabalhador da construção cívil tropeçou e caiu quando acabava de atravessar a Estrada Nacional 235 ao dirigir-se para casa de um amigo.

- Um emigrante ilegal nepalês conseguiu arranjar emprego numa fábrica de lacticínios em Perth, Austrália.

Ai, ai, ai...

Ia começar a postar, mas vi a capa do Expresso. E não é que me ri?!

26.8.05

On the road

Em duas semanas, já se contam na bagagem dois mil e tal quilómetros, uma mão-cheia de concertos a rememorar, uma performance vocal que gelou a assistência, e uns quilitos emprestados.
E hoje o entrecosto estava de estalo. Literalmente. Tive que o disputar com os outros comensais.

Tosta de Atum à Modinha da Madrugada

Ingredientes:
- 2 pães de antes-de-ontem;
- 1 lata de atum dentro da validade;
- 1 molho de tiras de bacon bastante fora da validade;
- 2 ovos à revelia;
- maionese à discrição;
- algumas gotas de mostarda:
- fome, muita fome.

Modo de emprego:
Corte os pães ao meio. Deixe secar. Deite o atum numa téperuere e logo a seguir transfira-o para uma terrina mais pequena. Não faça perguntas. Enquanto isso, bote os ovos num fervedor e dê-lhes tempo. O fervedor deverá ter água. E estar ao lume. O lume deverá estar aceso, claro. No bico ao lado deverá estar uma frigideira pequena e aconchegante. Despeje na frigideira as tiras de bacon de uma altura razoável e homicide-as durante alguns minutos em lume branco com uma colher de pau.

Não se esqueça do atum, que ficou sozinho e desamparado na terrina mais pequena. Pisque-lhe o olho ou, se preferir, lance-lhe um olhar terno e carinhoso. Depois do amor, ataque-o com cinco garfadas de maionese e afogue-o em algumas gotas de mostarda. Vá mexendo. Vá mexendo. Vá mexendo. Deite um olhar rápido ao bacon na frigideira. Vá mexendo. Vá mexendo. O bacon, sim. Vá mexendo. Vá mexendo... Pronto, já mexeu demais! O bacon também já está morto, matado e morrido. Se não estiver, escorra algumas das tiras para a pasta nojenta na terrina mais pequena e mexa. Mexa-se! Está na altura de colocar os meios-pães a torrar. Não se preocupe: pode deixar queimar que isso depois resolve-se com uma faca velha.

Finalmente, saque os ovos do fervedor antes que derretam. Se ainda conseguir, descasque-os à balda, sem vergonhas - a sua cozinha é uma praia de nudismo. Corte os ovos às fatias. Corte as fatias aos bocados. Corte os bocados em bocados mais pequenos. Não se corte, corte os ovos. Despeje as migalhas naquela pasta de tez acastanhada na terrina mais pequena. Vai ver que as migalhas dos ovos até lhe dão uma corzinha. À pasta...

Agora sim, tire os meios-pães da torradeira, antes que a torradeira se engasgue. Raspe a parte queimada dos pães e borre-os com a pasta. Ponha sempre um pouco a mais. Um pouco demais. Chega. Junte as metades e sirva pela madrugada num prato bonito e bem lavado, para dar bom aspecto. Coma antes do nascer do sol e faça bom proveito. Acompanhe com boa companhia.

Um poema

Que se lixe a merda da pena! Estou farto de andar a carregar e a descarregar caixinhas para empilhar para o boneco.
Vou roer um poema do século XVII.

Strange days have found us @

Esta manhã, falei com um arquiduque morto. Logo à tarde, vou falar com o barman de deus.

25.8.05

Quem iPode, iPode!

iQaeda: because life is random

Nota Pós-Prévia: A imagem acima não é da autoria dos The Galarzas, tendo sido descaradamente roubada ao Attu. Os The Galarzas não se responsabilizam, por isso, por qualquer choque cultural, dano socio-político ou alteração nervosa provocado/a pela exposição prolongada à dita.

O debate


Esta senhora e este senhor levantaram-se e disseram: "É meu, só meu, fui eu, eu eu".
O Zé dos Bigodes, em representação do PS, falou baixinho, não fosse alguém dar por ele.
Se vive em Oeiras, nós sentamo-nos junto a si e choramos também.

A posta a seguir pode e deve ser mal entendida

Mas há aí alguém

Que me consiga pôr na cama antes das duas e meia?

Poema de: Idálio Juvino

Quadra Imperfeita em Disparate

Dona Carótida foi às compras
e trouxe um belo abacate;
Por causa do sexo tântrico
ninguém azeitou o alicate.

Idálio Juvino, Quadras aos Quadradinhos, Publicações O Que É Azedo Não Mancha, Póvoa da Isenta, 1988

Eis o sucesso do ano



Chegar aos 40 vírgem não é novidade, nem vergonha (bem, vergonha é um coi), e Steve Carrel, homem que está farto de aparecer ao lado de Jon Stewart no Daily Show, enfrenta a crise da falta de queca - em primeiro lugar logo na semana de estreia.

Se por aqui ainda nos estamos a render ao Hitchikers Guide to the Galaxy (estreia hoje!), por lá já andam no engate.

24.8.05

Poema Neuza

Neuza
Você é uma beleuza
seus olhos sobre a meuza
Me dão teuza
Vamo fazer uma tristeuza
Desbravá tua certeuza
Regozijar de sua gajeuza
Te levar ao sol
E regressar sem sua pureuza

Neuza
Você é farol nesta noiteuza
Minha sobremeuza
Farei um embrião em você, deuza
Não há memória de tal tranqueuza
Neuza


de Eustáquio Pinho, Finalmente Há Virgens Em Fátima, Leiria, 1917

Quem precisa de Al Qaeda?










fotos nacionais: LUSA

Vejam este filme! Por favor, vejam este filme!

Millions, a new film from the imagination of Danny Boyle

O que é que leva um filme tão luminoso a ser desterrado ao fim de apenas algumas semanas de exibição? Será a incompetência de certas distribuidoras de cinema, que não têm noção do produto que têm em mãos? Será a falta de interesse dos espectadores em verem coisas diferentes, sem explosões nem caras conhecidas? O que quer que seja, nada justifica que uma das mais belas fábulas do ano esteja perdida em pequenas salas periféricas um mês depois da estreia.

Este é um dos melhores filmes de Danny Boyle. E o mais estranho e belo de todos. Este não é o mundo de Trainspotting nem de Shallow Grave... ou se calhar até é - afinal, fala-se de dinheiro e daquilo que as pessoas são capazes de fazer por ele. Definitivamente, este não é o mundo de A Life Less Ordinary nem de The Beach nem de 28 Days Later. Este é um mundo à parte, algures entre Finding Neverland e Charlie e a Fábrica de Chocolate, sem Johnny Depp nem Freddie Highmore, mas com o surpreendente Alex Etel, um saco cheio de libras e uma mão cheia de Santos.

Milhões é um dos grandes filmes do ano. Milhões é muito mais do que só um filme sobre duas crianças que encontram um saco cheio de dinheiro - é um filme de Natal fora de tempo, é uma estória de encantar, é uma uma pérola escondida que merece uma segunda oportunidade...

Última hora

Uma notícia acabada de chegar à redacção dá-nos conta que foi encontrado esta tarde em Liswerry, condado de Monmouthshire no País de Gales, um palheiro metido no buraco de uma agulha.

Última Hora

Segundo apurámos esta noite junto de uma fonte que não se quis identificar, a última hora ainda não está próxima.
De facto, apesar de algumas interpretações mais alarmistas das Escrituras, não se confirma para já a proximidade do fim do mundo, do Armagedão.

At last!

Com um quarto de século de atraso e a reboque do filme, eis finalmente a tradução portuguesa da obra-prima de Douglas Adams, um dos maiores cultos da ficção-científica e do humor britânicos. Mas provavelmente ainda ninguém tinha dado por isso...

The Hitch Hiker's Guide to the Galaxy

Já só faltam mais três (ou quatro) para a trilogia de quatro (ou cinco) ficar completa e completamente em português. Mas provavelmente vamos ter que esperar pelas sequelas...

O sonho dele XCIII

O sonho do Black Adder era cevar a torto e a direito com os cornos enfiados na merda, mas puta que o pariu, por mim acabou-se a não ser que o badalhoco se balde ao caroço, porque a Dona Vitória do supermercado está-se a borrifar para o desfolhar nem quer saber de ver o lixo do rameloso.

23.8.05

Qual Soares, qual Cavaco... Este é que devia ser o nosso Candidato!

Walken 2008@

E não se lhe pode dar a nacionalidade portuguesa para ele começar a treinar por cá?

Uma bola do Cesto

Why does the chicken cross the road?
...To sing the karaoke.

22.8.05

GRÁTIS

Governo tenta resolver fogos

"Como ainda há muita área que não ardeu", disse um responsável aos The Galarzas, "vamos carregar napalm nos canadair a ver se amanhã está tudo queimadinho por esta hora."

I'm back

Entretanto a esquadrilha...

O ministro António Costa pede ajuda a Espanha, Alemanha, França e Itália.
Entretanto, nas bases da Força Aérea Portuguesa, os helicópteros repousam e os pilotos sentam-se a dormitar, a comer tremoços e beberricar minis.

21.8.05

Tour Galarzas de profundis #??

Com a legenda que abaixo se inscreve, chegou-nos via ésse-éme-ésse o seguinte postalito, retratado na noite de ontem, algures em terras de fronteira:

Jantar Conventual by The Galarzas
És cruel,
jantar foi num convento espanhuel,
vais à festa com ar de bordel,
és cruel...


[Da esquerda para a direita: indivíduo citado na revista Focus, Embaixador, Quarto, Cesto e Septeto Galarzas. Foto de Primo Galarza.]

Tour Galarzas de profundis #2

Estamos a regressar, com a alma da cor do céu português - cinzento. De momento não nos apetece nada rir.

20.8.05

Tour Galarzas de profundis #?

Eis chegada de volta uma quinta parte dos The Galarzas, após longo e exaustivo labor pelas bandas do Tabuão. Valeu a companhia de Cesto Galarza e do Senhor Embaixador, cuja generosidade permitiu a este Galarza amealhar mais um disco pirata de Nick Cave, um novo dos Residents e um dêvêdêzito dos Einsturzende Neubauten. Tudo o resto foram rojões com castanhas, espetadas de polvo, bacalhau à brás e umas braçadas na piscina. E o trabalho - que dá cabo da saúde a um gajo. Mas no fim, o que interessa, o que fica, é o potente show dos Foo Fighters, o sempre igual desfiar de canções dos Pixies, as estórias de Vincent Gallo, o perfil (e as calças e o rabo) da Juliette e a fantástica lição de Nick Cave. Ah, e pelo que dizem, o teatro sónico-disparatado dos Arcade Fire... Para o ano, esperemos que haja mais música e menos trabalho, que é para um gajo se poder divertir um bocadinho, 'tá bem?

19.8.05

Picar o ponto

Só para o dia não ficar em branco...

18.8.05

Coisas vulgares

Pôr os dedos no nariz e remexer é feio mas sabe muito bem.
Palitar os dentes em público também.
Insultar o árbitro (e a respectiva mãe) quando a nossa equipa não está a ganhar é natural.
Arrotar após uma boa pratada de bacalhau é um prazer sem preço.
Contudo, nada é melhor que um bom e sonoro peido no final de uma farta refeição.

O Sonho dele XCII

O Sonho de Francis Obikwelu era ter ido trabalhar para as obras num qualquer país não-terceiro-mundista.

17.8.05

Novo, novíssimo

The Galarzas, em transmissão irregular e dificultada pela campanha autárquica postada mesmo aqui à porta, acabam de inventar um novo conceito que promete revolucionar o mundo político e desportivo de todo o universo:

Lavamos a honra com uma desonra maior.

Mas que diabo, não teremos também o direito à luta desarmada? Não podemos também raspar tirinhas de casca de limão para dentro dum tacho raso de calda de açúcar? Por acaso somos nós a responsáveis pela tonsura nacional?

Deixem-nos correr livres e felizes pelos campos secos e negros da nossa terra - também enjoamos o chouriço e a cacholeira assadas.

Pulhice

Escrupulosos e-leitões:

Devido ao muito adiantado da hora e às dificuldades de estupidificação geral os The Galarzas estão neste preciso momento a cometer adultério e trafulhice. Se não acreditam reparem bem na próxima edição do Black Adder, a centopeia do papel emporcalhado. Já agora vejam a data e a hora desta posta e comparem-na com a da que há-de ficar por baixo. Não estão a ver a malandreira? Não descortinam a pulhice? Pois, se não conseguirem dar com a coisa é porque isto vai correndo bem, e porque estamos a conseguir limpar as pegadas de lama.

16.8.05

O meu Sonho .281

O meu Sonho era ter uma fritadeira de torradas.

Poema de:Josep Tomàs i Esplugas

ANY 2100
Desastre ecològic.


Sense arbres, sense plantes ni flors,
la terra no té contrast:
gris sobre blanc, negre sobre gris.
La cendra es va apoderar del paisatge
que ja no és més que una silueta.
No hi haurà verd a la primavera,
ni grocs a la tardor,
ni els vermells violents
de les roselles silvestres.
Tot està mort o quasi mort:
la terra resseca, cremada, no té gorja.
No pot beure!
No hi haurà llavor que germini,
que obri un terròs,
que broti valenta
desafiant les ments malaltisses
dels que recremen els boscos
que els seus pares ja havien cremat.
la terra calba
ha deixat de ser humida,
ha deixat de ser fèrtil.
Visió fotogràfica, d'imatge esvaïda
a mig revelar.
Mimetisme decadent:
els homes es tornen cendrosos
com morts que marxen i marxen,
sense trobar cap rierany,
cap rajolí d'aigua pura,
una flor per olorar,
un niu, un ocell,
un amor color de rosa,
perquè el rosa no existeix.
El cel ennegrit pels fums de les fàbriques
ha esborrat els contorns de les coses,
ja no és possible distingir l'horitzó.
Els homes-cendra, abatuts
i maleint el desastre ecològic,
busquen i busquen un brot d'herba
que obri una gleva, que l'espongi,
que la torni humida,
que els doni l'esperança
d'una terra més verda.

15.8.05

Off...

...to work!

Paredes de Coura

Foi


FOTO: LUSA

Belo, que foi.
E agora, vamos de partida. Deixo-te, ó cana verde. Mas "how long, to sing a new song?"

Boas férias. Boas feiras.

14.8.05

Tour Galarzas de profundis #1

Ó belos e anafados clientes desta minha casa, deste meu verdejante feudo
Aqui vos faço anúncio do início de mais um Tour The Galarzas

Por aí, ao sabor dos ventos e das nossas contas bancárias
nos havemos de espalhar por toda a parte, e de toda a parte trazer novas
e velhas porcarias, lixos, trampas para oferecer-vos, ó endemoninhados

Se por acaso vos faltar a chalaça Galarza ou o chouricinho sem sentido
é porque estamos na balda, debalde não seja,
que possamos trazer-vos biscoitinhos e rebuçados de laranja

Ainda assim, ó amáveis, em qualquer estrangeiro por onde tenhamos nossos pés atolados
tudo faremos, para vos mandar novas e bilhetinhos postais, ainda que
seja a 0.50€ por meia hora quando houver meias horas para regatear às peixeiras.

Não receeis a caixa eléctrica e tende fé numa nova era de bombocas de morango.
Nós vamos e à volta vimos!

Está quase, está quase, é só mais umas horas!

"Eis a nossa entrega."
Eis o nosso bacalhau com natas.

O Presidente do Comité Lateral, Ditador Vitalício de todos os Galarzas:

Parabéns, ó muy preciosa!

I-leitores e alienados em geral: Mea Culpa!

É bem verdade que nos atrasámos nos cumprimentos devidos ao primeiro aniversário do Café & Cigarras e que a culpa foi toda minha. Apesar de ter estado no jantar promovido pela Preciouzzz, mentora, redactora e espiritual da afamada beluga, mesmo ao lado dela, como podem ver pela fotografia abaixo, fui atacado por uma grande dose de preguiça que só agora a custo me deixou sair em liberdade condicional para fazer a muito devida vénia, homenagem e saravá.
Aí vai ele, o saravá. Saravá!



Mana R., Mana R.!

Ainda não.


Imagem recolhida por um dos nossos agentes infiltrados há momentos no campo de futebol do Sporting Club de Portugal, onde ainda não começou o concerto dos U Dois.

Peseiro deixa Beto no banco contra os U2

O Tempo

São onze horas e vinte e um minutos.*

*Esta informação demorou três segundos a ser recolhida, e um minuto a ser redigida.

Doce para mim, dois para ti!

Aquele coiso que está ali mais abaixo, onde está escrito "Candy doesn't have to have a point..." e tal e coiso, é melhor que este que está aqui por baixo disto, o que diz que "É hoje."
Aos fiéis contemplados e aos tontos que estão a dormir debaixo da estação de metro há dois dias desejo um feliz dia de São Maximiliano Kolbe e dos canhotos.

Já a seguir: O tempo.

É hoje



O bilhetinho está guardado no Levítico.

«Candy doesn't have to have a point. That's what makes it candy.»

Charlie and the Chocolate Factory

Se há filme este ano que mereça adjectivos como "delicioso", "brilhante" ou "fabuloso", esse filme é Charlie e a Fábrica de Chocolate. Para Johnny Depp já não restam muitos adjectivos - aqui cria uma figura tão doce quanto maquiavélica, um misto de Marilyn Manson com Amélie (e até com Michael Jackson...). O jovem Freddie Highmore está a caminho de se tornar alguém (se não seguir os passos de outros child stars que se perderam pelo caminho). O casal Noah Taylor / Helena Bonham Carter é um achado, bem como os quatro avós que não saem da cama. Deep Roy (os mil e um oompa-loompas) é uma revelação. As canções são de chorar por mais. E se as referências são muitas (de Eduardo Mãos de Tesoura a O Grande Peixe), não deixa de ser luminosa a ideia de ter Christopher Lee como... enfim... é descobrir, senhores, é descobrir...

É uma fantasia, sim senhor, é um conto de fadas. Por isso, aqui não valem argumentos do costume. Sim, é tudo muito certinho e perfeitinho e bonitinho e engraçadinho. Sim, está cheio de clichés e de "lições de vida" e "imagens de marca". Mas é por isso que é tão sarcástico e inteligente e adulto: porque mais do que construir um "universo Burtoniano", descontrói todos os universos do cinema (incluindo o "Burtoniano").

«The best prize is a surprise» - e desta vez, o melhor prémio é a confirmação de que Johnny Depp é, definitivamente, o melhor actor norte-americano do momento e de que Tim Burton é que é o verdadeiro «amazing chocolatier»... Charlie e a Fábrica de Chocolate é de lamber os beiços!

Willy Wonka, Willy Wonka, the amazing chocolatier
Willy Wonka, Willy Wonka, everybody give a cheer
He's modest, clever, and so smart, he barely can restrain it
With so much generosity, there is no way to contain it,
to contain it,
to contain....
to contain...
to contain...

Willy Wonka, Willy Wonka, he's the one that you're about to meet
Willy Wonka, Willy Wonka, he's a genius who just can't be beat
The magician and the chocolate whiz
The best darn guy who ever lived
Willy Wonka, here he is!

Willy Wonka I



Só para os que não sabem que esta fábrica de chocolate é um sucessor (não sucedâneo) de um também genial filme, com Gene Wilder, aqui fica o boneco e o link, se na foto carregarem.

13.8.05

Super heróis árabes



Ei-los. Pela AK Comics.