21.3.06

Ponto final

.
.

E ninguém acredita...


Powered by Castpost

God

God is a concept
By which we measure
Our pain
I'll say it again
God is a concept
By which we measure
Our pain

I don't believe in magic
I don't believe in I-ching
I don't believe in Bible
I don't believe in tarot
I don't believe in Hitler
I don't believe in Jesus
I don't believe in Kennedy
I don't believe in Buddha
I don't believe in Mantra
I don't believe in Gita
I don't believe in Yoga
I don't believe in kings
I don't believe in Elvis
I don't believe in Zimmerman
I don't believe in Beatles
I just believe in me
Yoko and me
And that's reality

The dream is over
What can I say?
The dream is over
Yesterday
I was the Dreamweaver
But now I'm reborn
I was the Walrus
But now I'm John
And so dear friends
You'll just have to carry on
The dream is over


John Lennon

Aviso avisado

A loja grande da farândola está fechando, mas o Haiku e o Tabaco vão manter a actividade sempre que se justifique.

Até ao fim da semana inutilidadezinhas

Um jogo - toda a gente pode tornar-se um herói.

Adio, adieu, auf wiedersehen, goodbye.

Apolo-gia ao Wallbanger

A merda transbordou o prato. Não conseguimos deixá-la, pelo menos por agora. E há perfumes mais necessários para cheirar. Até que o feijão volte a crescer verde nas vagens.

Apologia ao Dan

above the sea of fog

Apologia ao amigo Gato

We apologise for the tremendous ball scratching. We apologise for the great balls of fire. We apologise for the the. We apologise for the bad wine. We apologise for other things that need apologies. And we also apologise for the fact we wont apologise for. We're sorry. We're many.

Já não vamos a tempo, pá! Vira aí à direita e segue aquele táxi.

A mega-tertúlia do conjunto azorrague músico-poético The Galarzas está encerrando. Enquanto o pau fôr e não voltar, iremos pôr-nos em bicos de pés e dançar o Lago dos Cisnes; venderemos as nossas carteirinhas de fósforos à porta da Brasileira; dona Antônia, de Goiás, por quem temos tido desde sempre a maior consideração, não só por ter sido a nossa maior fonte de inspiração com a suas histórias típicas ao longo destes dois anos e tal, mas também pelos brigadeiros que confeccionou para as nossas reuniões de trabalho, pelo incentivo e exortação que nos deu e ainda pelo favor que nos fez quando chamou as ambulâncias num serão em que trabalhámos demais e praticamente caímos na doença.

E por fim... um poema de Mário de Sá-Carneiro

SERRADURA

A minha vida sentou-se
E não há quem a levante,
Que desde o Poente ao Levante
A minha vida fartou-se.

E ei-la, a mona, lá está,
Estendida, a perna traçada,
No indindável sofá
Da minha Alma estofada.

Pois é assim: a minha Alma
Outrora a sonhar de Rússias,
Espapaçou-se de calma,
E hoje sonha só pelúcias.

Vai aos Cafés, pede um bock,
Lê o «Matin» de castigo,
E não há nenhum remoque
Que a regresse ao Oiro antigo:

Dentro de mim é um fardo
Que não pesa, mas que maça:
O zumbido dum moscardo,
Ou comichão que não passa.

Folhetim da «Capital»
Pelo nosso Júlio Dantas -
Ou qualquer coisa entre tantas
Duma antipatia igual...

O raio já bebe vinho,
Coisa que nunca fazia,
E fuma o seu cigarrinho
Em plena burocracia!...

Qualquer dia, pela certa,
Quando eu mal me precate,
É capaz dum disparate,
Se encontra a porta aberta...

Isto assim não pode ser...
Mas como achar um remédio?
- Pra acabar este intermédio
Lembrei-me de endoidecer:

O que era fácil - partindo
Os móveis do meu hotel,
Ou para a rua saindo
De barrete de papel

A gritar «Viva a Alemanha»...
Mas a minha Alma, em verdade,
Não merece tal façanha,
Tal prova de lealdade...

Vou deixá-la - decidido -
No lavabo dum Café,
Como um anel esquecido.
É um fim mais raffiné.

La Mélissa du dernière jour

Au revoir, Mélissa. Au revoir...

Epitáfio

«What do you do when the people go home?
And what do you do when the show is all done?
I know what I'll do in the alone of my time,
But what will I do with the leftover wine?
»

Chega a Primavera...

...vão-se os The Galarzas.

Até breve. E thanks for all the fish.

17.3.06

Está a dar o segundo toque!

Definha mas não morreu.

Atenção à passagem de tabaco fresco pela casa do Balcão.
Recolha feita à volta da Ria de Aveiro.

16.3.06

Já toda a gente percebeu, mas cá fica o aviso oficial

Senhoras e senhores, esta tertúlia está a definhar...

14.3.06

Eu é que sou o Presidente da Junta (Portugal no seu melhor)

«Terrenos da Junta pagam sexo virtual

O ex-presidente de uma junta de freguesia do concelho da Guarda (...) terá gasto 49 mil euros em chamadas telefónicas para linhas eróticas, em menos de três meses. Quando chegou a factura, o autarca demitiu-se e a Portugal Telecom penhorou três terrenos para recuperar a dívida.
»

Domingo é Dia do Pai...

...hoje é Dia do Pi!

Pi

Ausência III: Poema de Jorge Luis Borges

Habré de levantar la vasta vida
que aún ahora es tu espejo:
cada mañana habré de reconstruirla.
Desde que te alejaste,
cuántos lugares se han tornado vanos
y sin sentido, iguales
a luces en el día.
Tardes que fueron nicho de tu imagen,
músicas en que siempre me aguardabas,
palabras de aquel tiempo,
yo tendré que quebrarlas con mis manos.
¿En qué hondonada esconderé mi alma
para que no vea tu ausencia
que como un sol terrible, sin ocaso,
brilla definitiva y despiadada?
Tu ausencia me rodea
como la cuerda a la garganta,
el mar al que se hunde.

Ausência II: Poema de Vinicius de Moraes

Eu deixarei que morra em mim o desejo de amar os teus olhos que são doces
Porque nada te poderei dar senão a mágoa de me veres eternamente exausto.
No entanto a tua presença é qualquer coisa como a luz e a vida
E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto e em minha voz a tua voz.
Não te quero ter porque em meu ser tudo estaria terminado.
Quero só que surjas em mim como a fé nos desesperados
Para que eu possa levar uma gota de orvalho nesta terra amaldiçoada
Que ficou sobre a minha carne como nódoa do passado.
Eu deixarei... tu irás e encostarás a tua face em outra face.
Teus dedos enlaçarão outros dedos e tu desabrocharás para a madrugada.
Mas tu não saberás que quem te colheu fui eu, porque eu fui o grande íntimo da noite.
Porque eu encostei minha face na face da noite e ouvi a tua fala amorosa.
Porque meus dedos enlaçaram os dedos da névoa suspensos no espaço.
E eu trouxe até mim a misteriosa essência do teu abandono desordenado.
Eu ficarei só como os veleiros nos pontos silenciosos.
Mas eu te possuirei como ninguém porque poderei partir.
E todas as lamentações do mar, do vento, do céu, das aves, das estrelas.
Serão a tua voz presente, a tua voz ausente, a tua voz serenizada.

Ausência I: Poema de Teófilo Chantre

si asa um tivesse
pa voa na esse distancia
si um gazela um fosse
pa corre sem nem um cansera

anton ja na bo seio
um tava ba manche
e nunca mas ausencia
ta ser nos lema

ma so na pensamento
um ta viaja sem medo
nha liberdade um te'l
e so na nha sonho

na nha sonho mieforte
um tem bo protecao
um te so bo carinho
e bo sorriso

ai solidao to'me
sima sol sozim na ceu
so ta brilha ma ta cega
na se clarao
sem sabe pa onde lumia
pa onde bai
ai solidao e un sina...

9.3.06

Viva Aníbal, Cavaco I de Portugal

anibal

8.3.06

7.3.06

Poema aleijado de Jorge Luis Borges (por uma estranha despedida)

DESPEDIDA

Entre mi amigo y yo han de levantarse
trescientas noches como trescientas paredes
y el mar será una magia entre nosotros.

No habrá sino recuerdos.
Oh tardes merecidas por la pena,
noches esperanzadas de tu arte,
campos de mi camino, firmamento
que estoy viendo y perdiendo...
Definitiva como un mármol
entristecerá tu ausencia otras tardes.

6.3.06

Quando a Marcha dos Pinguins chega a Brokeback Mountain...

...acontece o amor entre dois pinguins machos que, contra tudo e todos, decidem criar uma família.

Brokeback Penguin
Depois de A Marcha dos Pinguins e O Segredo de Brokeback Mountain, chega Brokeback Penguin, um novo e polémico filme, baseado num novo e polémico livro que conta a história verdadeira e verdadeiramente controversa de Roy e Silo, os dois pinguins machos do Zoo de Nova Iorque que adoptaram um pinguim bebé. Um filme belo e apaixonante, com Clint Eastwood e John Wayne e a participação especial de Michael Jackson, na surpreendente interpretação de Tango, o pinguim bebé... que viria a tornar-se um belo pinguim macho... que queria ser uma bela pinguim fêmea... que ficaria na história como autora de um livro polémico - mas isso é uma história para a sequela: Tangaméricapote, um filme belo e apaixonante, com Charlize Theron.

[Um caloroso saravá é devido ao autor da tão genial montagem que ilustra esta reportagem séria e factual - o mui talentoso Carlos Gonçalves que, apesar de achar que precisa de óculos, nos vai fazendo rir com a sua sempre constante criatividade. Saravá, pois!]

O Quarto a rodopiar

wrong_way_up


Spinning Away

Up on a hill, as the day dissolves
With my pencil turning moments into line
High above in the violet sky
A silent silver plane - it draws a golden chain


One by one, all the stars appear
As the great winds of the planet spiral in
Spinning away, like the night sky at Arles
In the million insect storm, the constellations form


On a hill, under a raven sky
I have no idea exactly what I've drawn
Some kind of change, some kind of spinning away
With every single line moving further out in time


And now as the pale moon rides (in the stars)
Her form in my pale blue lines (in the stars)
And there, as the world rolls round (in the stars)
I draw, but the lines move round (in the stars)
There, as the great wheels blaze (in the stars)
I draw, but my drawing fades (in the stars)
And now, as the old sun dies (in the stars)
I draw, and the four winds sigh (in the stars)

Brian Eno & John Cale, Wrong Way Up, Warner Bros / Wea , 1990

ceptro a optimus


"O último poema

Assim eu quereria o meu último poema.
Que fosse terno dizendo as coisas mais simples e menos intencionais
Que fosse ardente como um soluço sem lágrimas
Que tivesse a beleza das flores quase sem perfume
A pureza da chama em que se consomem os diamantes mais límpidos
A paixão dos suicidas que se matam sem explicação."

de Manuel Bandeira.

saravá.

Cráche, Clunêi, Stuârte e os outros

E os vencedores foram...

- Jon StewartTonight is the night we celebrate excellence in film — with ME, the fourth male lead from 'Death to Smoochy'.»);

- George ClooneyAll right, so I'm not winning director... It's a funny thing about winning an Academy Award, this will always be sort of synonymous with your name from here on. Oscar-winner George Clooney, sexiest man alive 1997, 'Batman', died today in a freak accident.»);

- Robert AltmanI look at it as a nod to all of my films because to me I just made one long film.»).

RE: Onde andas tu, beluga?

Esta beluga foi vítima de um badagaio que a deixou impossibilitada durante largas horas e que deixou os Galarzas postantes à beira de um achaque nervoso - daí a posta anterior e outros impropérios não postados. Pelo facto, as nossas escusas.

Onde andas tu, beluga?

O que é que se passa com este blog? Tirou o dia, foi? Não quer aparecer, é? 'Tá cansado, o menino? Vamos lá a abrir em condições, fáxavôr, que a gente quer postar coisas, pá! Mau maria...

5.3.06

And the Razzie goes to...

Aí estão... como todos os anos, eis os mais infames, desavergonhados, injustos e disparatados prémios do cinema. Mas antes dos Óscares, foram entregues ontem à noite os Golden Raspberry Awards, que celebraram o pior cinema de 2005! E o grande vencedor foi:

Dirty Love

O filme de John Asher, escrito e interpretado pela ex-coelhinha da Playboy Jenny McCarthy, ganhou quatro Razzies: Pior Filme, Pior Realizador, Pior Argumento e Pior Actriz.

Além da obra de Jenny McCarthy, outros vencedores da noite foram Rob Schneider (Pior Actor), Paris Hilton (Pior Actriz Secundária), Hayden Christensen (Pior Actor Secundário), Will Ferrell e Nicole Kidman (Pior Par) e Tom Cruise (que recebeu o novel prémio para Most Tiresome Tabloid Target). É justo.

Teardrop, Massive Attack

Love, love is a verb
Love is a doing word
Fearless on my breath
Gentle impulsion
Shakes me makes me lighter
Fearless on my breath

Teardrop on the fire
Fearless on my breath

Nine night of matter
Black flowers blossom
Fearless on my breath
Black flowers blossom
Fearless on my breath

Teardrop on the fire
Fearless on my breath

Water is my eye
Most faithful mirror
Fearless on my breath
Teardrop on the fire of a confession
Fearless on my breath
Most faithful mirror
Fearless on my breath

Teardrop on the fire
Fearless on my breath

Stumbling a little
Stumbling a little

4.3.06

Um sábado como outro qualquer

Hoje acordei com a caldeira avariada e a cozinha alagada. Depois de ligar para a "assistência 24 horas", fiquei a saber que a minha caldeira, além de ser rebelde e mal-comportada, não tem a noção das coisas - é que não tinha nada que avariar a um sábado, pá! Da "assistência 24 horas" disseram logo que só lá para segunda-feira é que podiam fazer qualquer coisa. Que isto da "assistência 24 horas" só funciona de segunda a sexta... Aos fins-de-semana não há assistência, logo não pode haver avarias! E a caldeira já tinha obrigação de saber isso, olha que chatice.

De outra empresa, alternativa, a quem não pago prestação, anunciaram que sim senhor, iam ver já se era possível mandar cá um técnico. Não foi. Talvez amanhã.

Lá tive que ir tomar banho a casa do mano, que por acaso é engenheiro e tem um amigo (pois, que isto, mesmo que não se queira, só lá vai com cunhas) que monta e arranja caldeiras. Há-de cá vir amanhã, que hoje estava a montar uma caldeira num restaurante. Que sim, trabalha aos fins-de-semana. Precisa - não tem nome de marca nem capital do estado, por isso, tem que trabalhar.

Quanto ao fim-de-semana, fica alagado...

3.3.06

No sopé mercado

Ouvido a uma cliente que repreendia a funcionária da caixa 3:

- Já viu o que é que fez às batatas?

Respondido por Quarto:

- Pois, a senhora concerteza que há-de fazer-lhes muito pior logo à noite. E nem quero imaginar como é que elas estarão amanhã de manhã.

Os dias carregados

Será do Inverno ou do escuro dos dias? Será do tempo ou do peso da realidade? É que, ultimamente, os dias têm-me parecido demasiado compridos, demasiado difícies, demasiado deprimentes, demasiado carregados, demasiado a mais...

Uma lágrima pela partida da Anabela!

Sim, gostava muito de ter olhado para as suas mamas formosas, ó formosa!

Ódios de estimação I: Anabela

A nossa musa incendiária vai deixar de apresentar o mui interessante e soporífero Magazine, programa que corroeu o ido Acontece-te, defendido com unhas, dentes e berbequins por Rangel, o incansável.

Ora, aqui atrasado, neste mesmo espaço, a nossa Anabelita Mota Ribeiro foi muito maltratada. Dissemos delas cobras e lagartos.

Mas agora, ao vê-la na televisão, com aquele cabelinho à tigela, puxado depois por um funcionário qualquer da RTP, cheio de gel, a carinha assim a recuperar a inocência, uma espécie de Amèlie ao contrário, sem o olhar carnívoro de outrora...

agora vejo nela uma Maria Teresa Horta por cumprir. Uma Alberta Marques Fernandes em potência. Uma Fátima Campos Ferreira de Matos Lima desaproveitada. Vejo em si, Anabela, um vendado num campo de lírios, vejo em si o 25 de Abril de 1971. Ou de 1957.

Não há nada, Anabela. A menina, oiça, repare lá na ironia:

a menina está na primeira linha dos programas que vão sair do ar,
a menina não encorajou a malta a ir mais ao teatro,
a menina até deixou de dizer se ia ao cinema, se ia ao concerto, se ia cozer couves para casa ou mandar bitaites para o Lux,

a menina, Anabela,
veja lá a ironia,

já aconteceu.

2.3.06

Pergunta ilimitada

- O que é a insulina?
- É uma droga que só se faz nas ilhas.

Notícias divertidas

Publicadas hoje no:
Correio da Manhã

«Parlamento - Grupo de amizade com ilha das Caraíbas:
Deputados querem ir à República Dominicana

(...) Para o parlamentar, que é presidente da associação Luso-Dominicana para a Amizade e Cooperação, esta iniciativa visa reforçar as relações bilaterais entre os dois países, uma vez que “não há um embaixador residente português na República Dominicana”, como disse ontem ao CM. (...)»

e no:
Diário de Notícias

«Empresa do BCP beneficia de regime de IVA irregular

A Servibanca, empresa do Grupo Millennium bcp, tem vindo a beneficiar, desde 1999, de um regime de tributação irregular em sede de IVA com base numa informação dada em 2000 pelos serviços fiscais e com base num despacho da mesma data da subdirectora-geral do IVA. (...)»

Eu queria ser... um lenhador!

timbersports_2005_t

O STIHL® TIMBERSPORTS® SERIES chega ao Expo Salão Batalha no próximo dia 18 de Março.
Evento a contar para o campeonato de Espanha pela primeira vez em Portugal, vai concerteza atrair uma multidão de adeptos que já se renderam a esta modalidade, mas também outros que não irão ficar indiferentes às manobras das maiores estrelas internacionais.

Poema de Mestre Nestor Alvito

COM QUE FOZ

Até que esta voz
me doa
Foz Côa
Foz Côa

Canto os meus avós
à toa
Foz Côa
Foz Côa

Assim atroz
na boa
Foz Côa
Foz Côa

Com esta voz
safou-a
Foz Côa
Foz Côa

Vem até nós
ecoa
Foz Côa
Foz Côa

1.3.06

Arábia Saudita 0 : 3 Portugal

O meu cão é mesmo maluco. Estivemos os dois há bocado a ver o jogo da selecção na televisão (joguinho insonso, sem graça, mal chegou para aperitivo), entretidos a falar do Scolari, do emprego que o senhor tem à espera no lugar do Eriksson lá para Setembro, bebemos umas cervejinhas, comemos uns tremoços e assim, sem mais nem menos, diz-me o meu cão de repente: "Eh pá, da maneira como isto vai, não te admires se um dia destes nos quiserem proibir de comer ovos estrelados!" "O quê?" - perguntei-lhe eu incrédulo. "Não te esqueças disto" - reafirmou, derribando-me do espasmo - "um dia destes bem próximo hão-de proibir-nos de comer ovos estrelados, nem que para isso seja preciso inventar uma nova polícia qualquer ou uma doença histérica."

Vergilio, dez anos depois da morte



«A Verdade das coisas

Então lembro-me intensamente de Milinha, de quanto era ainda minha filha - vamos pelas ruas ao acaso, compro-lhe gelados, bombons, explico-lhe o mistério dos seres, levo a minha filha pela mão. E como nunca, sinto-me investido de grandeza, de uma justificação inteira de estar na vida - levo a minha filha pela mão. Meu Deus, se eu soubesse dizer, se eu soubesse recompor esta verdade tão simples, pela mão, esta verdade tão intensa. O calor do meu sangue, trespassa-nos pelas mãos dadas, sinto-o no quente da minha palma fechada, fluido misterioso, vertiginoso como um incêndio divino. Um ser aberto de inocência, indefeso e tão frágil, os olhos ávidos de saber, erguidos para mim - sou eu que sei coisas, acumulado do saber dos séculos, e eu to gravo no teu cérebro confiante, na virgindade do teu início. Poderoso da minha força erguido ao alto do meu arbítrio, da minha solicitude - tu à minha mercê, tanto. E uma ternura difícil no meu sorriso nublado. Aperto a minha mão na tua e o teu pulsar do coração minúsculo desfolham, passeamos num parque, talvez é o Outono do amadurecimento da vida. Senhor da vida eu que ta dei, a reconheço agora na mão que prendes à minha, na fortíssima vitalidade que por ela passa, silenciosos agora, graves, enquanto entregue à minha protecção, estudas de olhos abertos a verdade das coisas.»

Rápida, a sombra (1974)

A propósito

Quantos dias é que faltam para inaugurarmos o Cavaco?

Já não se lembravam dele, pois não? Ficou o bacalhau a demolhar umas semanas, de maneira que quase nos esquecíamos que há uma nova excelência para instalar e uma outra para empacotar e mandar de volta para São Sebastião da Pedreira.

Senhoras e Senhores, os The Galarzas apresentam...

The Galarzas Linking Show
«Links, VIBs (Very Important Blogs) e outros sítios interessantes: armazém de lincagens, ligações e ligeirezas da tertúlia oficial do conjunto azorrague músico-poético The Galarzas». Que é como quem diz: o arquivo de links dos The Galarzas, onde está arrumada a tralha toda que costuma estar ali na barra da direita. A questão agora é: mas afinal, o que é vai acontecer ali à barra da direita?

Serviço Público The Galarzas: sempre a facilitar!

Cada país tem o top que merece!

Ora atente-se nos discos mais vendidos em Portugal durante esta última semana:

1º: MELANIE C, "Beautiful Intentions"
2º: IL DIVO, "Ancora"
3º: DANIELA MERCURY, "Balê Mulato"
4º: JAMES BLUNT, "Back To Bedlam"
5º: MICHAEL BUBLE, "Caught In The Act - Live"

Por este andar, música, provavelmente só a partir do 27º lugar... Mas isto, como diz um velho camarada, «pode ser do meu ouvido, que é 1 pouco mouco».

Nu meyl di Galarza

«De: "Euphrosyne Constantine"
Assunto: joi nery news
Date: Wed, 1 Mar 2006 14:15:45 -0500


iSaauvier uuiph ctyoe x8y0o%v mwjidtqh
http://www.otashada.com

wVblxAnGiRdAu v$b3i,c7g5
nVtAkLoIlUrMi p$a1m,z2f1
kCqIhAtLtlgSg y$b3z,x3u3»

Ouvidus na rua

- Épá, existe alguma expressão ainda pior que "annus horribilis"?
- Existe, pois: "doismiliseis"...

E-menta do Dia

Entradas:
- Excabeche de Tambor sobre Ensopado de Beijo;
- Púcara de Cão d'Orniz, Besunto e Leopardo com Caramelos do Campo e da Estufa;
- Mamas de Pomba Assada em Boca-doce e Canela com Estoufarto de Abóbora e de Figo.

Sopas:
- Calduços e Bacalhaus e um Beijo Fresco;
- Caldo Rico de Cação e Camarão Perfumado com Channel Nº5;
- Caldo Pobre com Hortelã da Ribeira.

Peixes:
- Centro de Cherne Estouvado em Cebolada Murcha a Cheirar a Alho e Coentros;
- Dourada da Linha com Crostas, Mal de Tavira com Manteiga de Restos Aromáticos, Legumes de uma Horta e Batatas aos Murros.

Carne:
- Louquinho de Torso Preto Montado por um Alentejano com Caneleiras de Pimenta e Assado por Duas Amigas;
- Lombo de Veado à Brasileira com Tozé (o Beirão Vermelho), Pêra Encerada por um Torto de Marreca, Creme de Maçãs Grávidas e Trutas do Bosque.

Sobremesas:
- Dueto de Azeite, Sô Zé e Sr. Gelado;
- Trilogia de Chocolate, Môça, Trunfa Frita e Espuma;
- Pudim de Cão Alentejano com Pêra Babada.