21.3.06

Já não vamos a tempo, pá! Vira aí à direita e segue aquele táxi.

A mega-tertúlia do conjunto azorrague músico-poético The Galarzas está encerrando. Enquanto o pau fôr e não voltar, iremos pôr-nos em bicos de pés e dançar o Lago dos Cisnes; venderemos as nossas carteirinhas de fósforos à porta da Brasileira; dona Antônia, de Goiás, por quem temos tido desde sempre a maior consideração, não só por ter sido a nossa maior fonte de inspiração com a suas histórias típicas ao longo destes dois anos e tal, mas também pelos brigadeiros que confeccionou para as nossas reuniões de trabalho, pelo incentivo e exortação que nos deu e ainda pelo favor que nos fez quando chamou as ambulâncias num serão em que trabalhámos demais e praticamente caímos na doença.