9.2.06

Diálogo d'ouro ou Os Sopranos à portuguesa

Pedro Sanhudo (árbitro) e Óscar Coutinho (árbitro) para Castro Neves

PS: Olha, bebemos... hoje fomos jantar... cento e quarenta euros...! Do jantar...
OC: Os três?!
PS: Sim...
OC: Mas quê? Foste à marisqueira...?
PS: Ó pá, comemos só uma merdita de nada...! Agora veio uma garrafa de whisky!
OC: Caralho! E o Gondomar...? O Gondomar não pagou?!
PS: Não! Desta vez não interessava! Ó pá deu-nos umas correntes... que aquela merda pesa para aí uns dez quilos! (risos)
OC: Eles deram outra vez... outras merdas em ouro...?
PS: Deram.
OC: Ah, foda-se!!!
PS: Espectaculares! Espectaculares! Ultrapassou as medidas...!
OC: Caralho!, não... Vós daqui a pouco, puta...! Ides abrir uma ourivesaria!
PS: É o mais certo!

(Excerto da ópera-bufa As Escutas do Senhor Major [a partir de diálogos publicados no DN].)