18.1.06

Pois. Chamem-lhe o que quiserem. Se alguém quiser mudar o título a isto mande um novo para a caixa de correio.

Tinha começado a cuidar dum caracol à Clark Gable por cima da testa e de repente começavam a reparar nele. Aquele caracol estava repetido pelas cabeças das mulheres do bairro que não compreendiam a razão para tão estranha atracção: agora todas se interessavam por ele. Coisa tão repentina, ainda há pouco ninguém dava por ele e agora toda a gente o achava o homem mais interessante.
O que todos não podiam saber é que além de ter aquele caracol que lhe conferia uma nova aura de mistério, ele tinha mandado arranjar o frigorífico, tinha um presunto no fumeiro e tinha semeado de oregãos um grande vaso de barro.

Estava a chegar o Verão: ía fazer petiscos.