29.10.05

Coincidência? Não.

Não é uma coincidência: são as orelhas sempre moucas nos supermercados Burrito; são as caixinhas de aspirina à meia noite, vertidas para o copinho de leite da avó enquanto pensamos "Porque não Ratak?"; é um restaurador de cadeiras que grita "Olé!" na bancada da sombra; é um pinchavelho que o "menino Jesus nos trouxe pelo Natal passado e que vamos deitar ao lixo porque não serve para nada; era uma vez; uma dona de casa a arder; uma marca amarela no lado esquerdo.