28.8.05

..."E a morte nunca o tempo a redime"...