17.7.05

Quando

Quando a coisa acabar de fritar ponha-lhe a rodela de limão por cima. Escusa de esperar pela trepidação de que estava à espera - o banco já fechou.
Far-se-ia de outro modo, não fosse o modo estar em via de extensão e a penumbra em desacordo com a sua estima e a falsa prioridade, descabida, estar em transe. É uma coisa qualquer a ver com a dor. Por princípio, deveríamos andar em pontas de pés, mas para enganarmos a fluência vamos em bicos.
Ponha só mais uma coisinha de louro verde, poucochinho, que é mais para o efeito e é só um paladarzinho.