11.7.05

Albion Tour 2005 - post match report

Jogadas as 4 partidas da tour galarzica em terras de Albion. Aqui fica o resumo da jornada.

Jogo 1 - E.U.A. vs The Galarzas
Após um estágio inaugural a ter lugar na terra de SOUND, a partida inaugural teve lugar no belissímo estádio de METRA, com uma capacidade par 55.000 pessoas.
A partida começou morna com alguma dificuladade de entrosamento da equipa Galarzica, o que não seria de estranhar visto ser o primeiro jogo deste tour.
Ao intrevalo registava-se um 0-0 inglório que não reflectia nada a corrente do jogo. Ao intrevalo as subsituições feitas começaram a dar os seus frutos. Com uma maior coesão de meio campo e uma sólida defesa foram conseguidos lances de grande futebol e o jogo parecia garantido quando, ao ser rasteirado na área, o nosso embaixador beneficiou de uma grande penalidade, desperdiçada para grande tristeza da audiencia. No entanto a moral estava alta e a partida continuava mexida, poucos minutos depois o nosso Primo Galarza remata com força mas ao poste, defendido pela guardiã que entrara a substituir a anterior por lesão.
O jogo continuou com belas jogadas por parte da equipa visitante não sendo esta, no entanto, capaz de finalizar com sucesso.
Uma nota negativa para o árbitro Indiano que para além de estar completamente alheado do jogo cortou algumas das mais belas jogadas da nossa equipa.
Resultado final 0-0


Jogo 2 - Emiratos Arabes Unidos vs. The Galarzas
Após uma boa prestação da nossa equipa, esperava-se muito para o jogo 2 desta tour, um jogo que se esperava díficil, mas que trazia boas espectativas.
Este segundo jogo teve lugar no pequeno estadio de PARAGON com capacidade para apenas 20.000 espectadores. A lotação estava completamente esgotada tendo alguns adeptos ficado á porta sem poder ver o jogo. A tensão estava alta e este era um jogo de alto risco, principalmente tendo em conta o atentado da manhã anterior. Os animos estavam exaltados, no entanto algo logrou as espectativas dos espectadores. Nenhum dos jogadores da casa passou no control anti-dopping tendo todos acusado alto teor de sangue no ópio, entre outras drogas de menor efeito.
Assim sendo o árbitro decidiu anular o jogo deixando a nossa equipa com sede de mais para o dia seguinte.
Resultado final - Jogo anulado


Jogo 3 - Albion vs. The Galarzas
Sem demonstrar cansaço a comitiva Galarzica avançou para o jogo 3 deste teste.
O palco foi o estádio de SOUND onde a nossa comitiva já tinha estagiado.
O cenário estava montado e as espectativas eram altas para um belo jogo de futebol com a equipa residente. O estádio estava cheio e os nossos adeptos em clara inferioridade.
Foi dado o pontapé de saída em tom de 70's onde a nossa equipa deu cartas, uma vez mais, no meio campo. A "revienga", os toques, o tunel, o meio campo era claramente nosso tendo o guarda redes Galárzico uma noite descansada. No entanto, uma vez mais, a finalização esteve aquém das espectativas, com vários remates ao lado, mas principalmente á trave. Os nossos avançados têem de afinar a pontaria. Como tal uma vez mais ao fim do tempo regulamentar, voltou a verificar-seum rotundo 0-0.
Resultado final 0-0


Jogo 4 - Austria vs. The Galarzas
O jogo final desta tour teve lugar contra a belissima equipa Austriaca.
Num estadio com capacidade para 150.000 pessoas e completamente lotado, o THE MINISTRY OF SOUND seria o palco para este desafio. Com um árbitro Francês a arbitrar o encontro, este começou, uma vez mais com o domínio a meio campo da equipa tuga, sem dar a minima chance aos opositores. Com jogadas de belo recorte técnico e a jogar com ambos os pés, a equipa galárzica encostou a Austria ás suas redes. Uma vez mais a pontaria falhou mas desta vez podemos queixarmo-nos do árbitro que pura e simplesmente não deixava jogar a nossa comitiva. Um belo espéctaculo que não é refelctido de forma nenhuma pelos números - mais um 0-0.
Resultado final 0-0


Comentário final:
No geral poderemos considerar esta tour como bastante positiva, apesar dos fracos resultados obtidos.
As semelhanças entre a equipa Galárzica e a Selecção Portuguesa de 80 são enormes. Bom jogo de meio campo, bom controle de bola mas uma péssima finalização, são os factores que nos caracterizam. Se juntarmos a esta fórmula o "sindrome de Dire Straits" e o "sindrome de R/ch de Telheiras" temos as razões para a nossa magra prestação.
Como pontos positivos o nosso meio campo está em grande forma. As suas jogadas são bem planeadas e o entrosamento é excelente. A contratação de um novo avançado ou a reciclagem dos existentes é imperativa. Não se justifica que uma equipa de alta competição falhe dois penalties no mesmo jogo.
Esperamos ansiosamente pela próxima digressão para analisarmos as diferenças encontradas.