20.6.05

Rasputine

Rasputin não tinha barba,
ou melhor, era postiça,
enganou-nos bem a todos,
o rito esvai-se na missa.

Rasputin glabro era,
pelos presos por cordel,
a sua fama megera,
vai-se a ver, e era mel.

Óscar Machico, in «Segunda estepe a contar da esquerda», Editorial Urso A Pular, 1990