21.6.05

Poema de: Idálio Juvino

Solstício de verão

Quero ver o solstício
brilhar fogoso e fulvo,
entre o teu frontispício.
Ficar de olhar turvo

a tomar-te o pulso,
vendo o suave movimento
no teu coração convulso,
sem nenhum estremecimento.

Idálio Juvino, Archotes de Caramelo, Editora Pluviosa Grande, Alenquer 1986