6.6.05

Poema de: Idálio Juvino

Almoço de Domingo

Por todos os lados, meus apaniguados
fritam seus congelados.
Que nenhum fique do lado de fora
da comezaina, qu’ inda demora.

Por todos os rogados
deixo-os a eles perdoados,
pois se Deus corrobora,
não vão por mim embora.

E se uma menina de blusinha amarela
quiser trazer outra ainda com ela,
há-de pôr-se mais uma fervura
no quadro amarelo do Botticelli.

Idálio Juvino, “As Castas Lavadas”, Editora Minhota, Salvaterra de Magos, 1985