30.11.04

Poema de Godofredo Freire



Tão só que eu estava
Sem saber o que fazer
E eis que não sei como
Me caiu nas mãos o poder.

E agora, estou num dilema
Sem ideias mas com citações
Governar ou não, é a questão
Vou esperar pelas eleições.

(in Poemas Pré-Socráticos, Edições Imprevisto, 2004)

Erro de Calendário

Afinal o dia da Restauração não é amanhã. É hoje.

Veio de Pirescoxe

Os The Galarzas souberam há pouco por uma fonte que o fulminante ataque final ao governo dos amigos de Dona Cinha veio afinal de Pirescoxe, freguesia do Concelho de Loures.

Mais desenvolvimentos sempre que se faça necessário. Ou dentro de momentos.

GOOOOLO!


O meu Sonho .186

O meu Sonho dissolvia-se e caía numa noite de Outono.

Desabafo de um pai chocado...

...no seu blog babado:

«Há milhares de famílias em Portugal que tiveram que passar pelo drama de ter um bebé prematuro. Durante meses estiveram à cabeceira da encubadora sem poderem agarrar o seu filho, sem o poderem beijar, à espera que ele crescesse e tivesse força para encarar o mundo. Para essas famílias, a chegada de um novo membro é lembrada com angústia. Foi um período que preferem esquecer. Que passou. Uma batalha que venceram... Os que a venceram...
Esta razão basta para dizer que utilizar a metáfora de um bebé prematuro, que é pontapeado e agredido "pelos irmãos mais velhos", para caracterizar o mau estado em que está o Governo, não é só um acto de mau gosto. É um acto de uma inqualificável falta de sensibilidade. De falta de bom senso. De falta de respeito. De falta de educação. De falta de moralidade.
Mas foi o que o primeiro-ministro Santana Lopes fez ontem, em Vila Pouca de Aguiar.
Mas há mais... Todos os anos morrem centenas de crianças vítimas de maus tratos. Esses maus tratos acontecem maioritariamente no seio familiar. Basta lembrar o caso da pequena Joana, no Algarve...
E no entanto, o nosso primeiro-ministro achou que a melhor maneira de nos dizer que está a ser pressionado, que não tem condições para governar, era comparar-se a um bebé numa encubadora a ser violentamente agredido "pelos membros da sua própria família".
(...) Mas este tipo de falta de consciência, de falta de seriedade, ofende. Muito.
»

Assina o papá, depois de um último pedido:

«Quando anunciou ao país que iria dar a Santana Lopes a possibilidade de ser Primeiro-Ministro, o Presidente da República garantiu que ia estar vigilante. É por isso ao Dr. Jorge Sampaio que eu peço: dissolva este Governo. Penalize estes governantes. Em nome de todos os pais e de todos os bebés prematuros. Em nome de um país que não pode, não aguenta mais, este nível de insulto, este nível de alarvidade política. Um país cansado da boçalidade e da mediocridade intelectual que Santana Lopes trouxe à governação.
Em nome de Portugal, demita-o.
»

29.11.04

Poema de Boris Vian

Vai-me Faltando Energia

Vai-me faltando energia
Para escrever pohesia
Fosse como antigamente
E seria mais frequente
Mas estou velho e vicioso
Sinto-me criterioso
Sinto-me consciencioso
Sinto-me preguicioso.

(in Cantilenas em Geleia, Relógio D'Água, 2004)

Notícia de há bocado

Esta Casa é um hospital

Na sequência da publicação de um estudo efectuado aos hospitais nacionais, que conclui que em Portugal morrem por ano cerca de 10 000 pessoas devido a infecções hospitalares, o Ministro da Saúde fez saber esta tarde através de comunicado, da sua intenção de levar à Assembleia da República um projecto de lei que restrinja o uso de hospitais.

Segundo o mesmo comunicado, o projecto ainda em estado embrionário, prevê que seja interdito o uso de hospitais em: locais públicos; bibliotecas; bares; restaurantes; hospitais; recintos desportivos; recintos fechados; locais de trabalho.

A intenção do Ministro e da sua equipa, segundo fontes do Ministério da Saúde, é "acabar de vez com esse flagelo que tantas vidas de portugueses tem ceifado ao longo dos anos" mas também com "os gastos abusivos em hospitais que não fazem mais senão lesar os contribuintes."

Ora, então, segure aqui na bandeja

28.11.04



Pessoas Desaparecidas
.


Nome: Henrique Chaves (PIPI)

Idade: 4 dias

Altura: Cerca de 1,70 m

Cor dos olhos: Vermelhos

Cor do cabelo: Raizes pintadas de preto

Local do desaparecimento: Residência: São Bento - LISBOA

Outras informações: Sofre da doença de Santeiher, vestia, na altura do desaparecimento, calças de ganga, camisa branca com riscas azuis e calçava sapatos pretos. Transporta uma pasta consigo, que não é sua.
Costuma frequentar as imediações do Estádio da Luz, em Lisboa.
Qualquer informação deve ser comunicada preferencialmente para o seguinte endereço:

Directoria de Lisboa

Rua Gomes Freire,174 - 1069-007 Lisboa
Telefone: 218 641 000
Fax: 213 157 260
Piquete: 213 574 566
E-mail: biad.sipc@pj.pt
ou
para qualquer serviço de piquete da Polícia Judiciária

Conversa de blogues

Recebemos um assédio via e-mail. Primeiro, assemelhou-se às respostas que recebemos das noivas russas que andamos a tentar engatar. Mas, afinal, era um rapaz de tacão alto. Redobrado saravá ao Saraiva.

Ainda na caixinha, Pedro Silva, prestigiado escritor português com obras esgotadas no Brasil, manifesta interesse. Pois Pedro, eis que aqui estamos para divulgar o seu nome, Ora tome:

Pedro Silva

Pedro Silva
Pedro Silva
Pedro Silva
Pedro Silva
Pedro Silva

Esperamos ter sido úteis.

Eta jornalzinho



A gente gosta deles. A gente gosta deles desde o Letria, o Vieira, o Morais, os Ferreiras, o Pereira, até do Nunes. A gente gosta mesmo da Maria Elisa a mostrar o corpinho, do Soares a olhar para o corpinho, do João Jardim a mostrar o corpinho, da Dona Branca a mostrar o dinheirinho, dos bordéis nunca antes navegados, do processo Casa Pia na net, do irmão mais novo a quem chamam 24horas. A gente gosta do Mário Zambujal até mais não.

Se houvesse um Sunday Times em Portugal, saía à sexta.

Sobre a rádio ABC...

Na posta restante:

«A propósito do post sobre esse case study que é a radio ABC não posso deixar de me congratular com a divulgação desta fabulosa estação, uma lufada de ar fresco no éter nacional.
Gostava ainda de chamar a atenção para os diálogos mantidos entre o animador das madrugadas da ABC e os ouvintes que pedem discos: sente-se uma invejável familiaridade, até há alguns ouvintes que são reconhecidos pela voz, pergunta-se pela família e tudo...
Dou ainda a minha experiência pessoal – uma passagem invejável que faria inveja ao próprio Carl Cox, tal a sua subtileza: "Wish You Were Here" de Pink Floyd para uma musica cujo nome desconheço do fabuloso Quim Barreiros! Absolutamente sublime!

Obrigado pelo tempo dispensado à leitura deste emílio e continuai, estais no bom caminho!

Nuno Reis
»

Ora, assim se prova que, além de Henrique Chaves, ainda há gente sem muito para fazer.

O Governo da Nação...

...amarrado ao biberão:

Santana diz que Governo é um bebé que precisa de ser acarinhado

«O primeiro-ministro, Pedro Santana Lopes, comparou hoje o seu Governo a um bebé numa incubadora a quem os irmãos mais velhos dão "uns estalos e uns pontapés", mas que precisa ser acarinhado.» (in Público)

Domingo no Mundo

Num dia destes apetece lembrar, como já cantava o Sérgio Godinho,
que talvez hoje tenha sido «domingo no mundo
e tudo bata certo nem que por um segundo
fogo de artifício se veria
se fosse assim p'ra sempre um dia
».

Alvíssaras

Aos irmãos Primo, Septeto. Ao Senhor Presidente do Comité Lateral, pela aposta na continuidade, na renovação deste PC, pela luta democrática que travaram neste fim-de-semana e que, certamente, continuarão a travar no futuro em prol.

Avíssaras e Saravás

Notícias Frescas

A Tiara do Rei (Observer)

A Quinta das Celebridades Europeias (Observer)

9/11 ou uma série de mortos (NYT)
Ó Álvaro, aguenta-te no Benfica! (NYP)
Ensaio Sobre a Gafanhotagem (El Mundo)

Ao menos isto, camaradas!




Poema de António Lobo Antunes

Todos os homens são maricas
quando estão com gripe

(pasodoble)

Pachos na testa
Terço na mão
Uma botija
Chá de limão
Zaragotoas
Vinho com mel
3 aspirinas
Creme na pele
Dói-me a garganta
Chamo a mulher
Ai Lurdes, Lurdes
Que vou morrer

Mede-me a febre
Olha-me a goela
Cala os miúdos
Fecha a janela
Não quero canja
Nem a salada
Ai Lurdes, Lurdes
Não vales nada

Se tu sonhasses
Como me sinto
Já vejo a morte
Nunca te minto
Já vejo o inferno
Chamas diabos
Anjos estranhos
Cornos e rabos
Vejo os demónios
Nas suas danças
Tigres sem litras
Bodes de tranças
Choros de coruja
Risos de grilo
Ai Lurdes, Lurdes
Que foi aquilo

Não é chuva
No meu postigo
Ai Lurdes, Lurdes
Fica comigo

Não é o vento
A cirandar
Nem são as vozes
Que vêm do mar
Não é o pingo
De uma torneira
Põe-me a santinha
Á cabeceira
Compõe-me a colcha
Fala ao prior
Pousa o Jesus
No cobertor
Chama o doutor
Passa a chamada
Ai Lurdes, Lurdes
Nem dás por nada

Faz-me tisanas
E pão de ló
Não te levantes
Que fico só
Aqui sozinho
A apodrecer
Ai Lurdes, Lurdes
Que vou morrer

(in Eu Que Me Comovo Por Tudo e Por Nada, 1992)

Estado das coisas em bits

A informática prega as seguintes partidas à comunidade galárzica:

Primo: o PC só arranca quando quer (é ortodoxo);
Quarto: o PC está cheio de vírus (é renovador e passou-se para a ENI);
Cesto: o PC está aberto e não tem CD (reclama o tempo da cassete);
X: o PC ficou na outra casa (só vieram os livros de ML).

Perante isto, sobrevide o irmão cardinal Quinto. Mas, perguntam-se vós, por quanto tempo?

27.11.04

Depois do Telejornal

«Só me apetece é ganiiiiir!»

Encavacados

«É chegado o momento de os políticos competentes afastarem os políticos incompetentes» - diz Cavaco Silva no Expresso de hoje. E o que é que nós andamos todos a dizer há seis meses?

Re: Ninguém é perfeito

Mas Sara, ó Sara... Como dizia o teu amigo, a Scarlett Johansson «até podia estar enfiada num saco de sarapilheira». Ai, a Scarlett, a Scarlett...

26.11.04

Em estreia

«Os Vigilantes»: num corredor BUS perto de si!



«A CARRIS tem três veículos SMART, de dimensões reduzidas, "OS VIGILANTES", A VIGIAR AS FAIXAS BUS, para garantir a disponibilidade e fluidez nestes corredores reservados a transportes públicos.»

Digam lá: estão a gozar, não estão? A sério... isto é no gozo, não é?

A droga, a droga...

Os The Galarzas relatam aqui, cumprindo a sua quota mensal de serviço púbico, um cu movente caso. Que seja uma lição para todos os nós.

«Chamo-me Arlindo Galocha e tenho 32 anos. A minha vida foi até há pouco tempo uma sucessão de desgraças, misérias e mais desgraças. E mais misérias. Fui viciado em cannabis durante 23 anos, mas graças adeus, consegui fugir às grilhetas do vício sujei tando-me a um tratamento. Senti-me então um homem novo e dediquei-me ao estudo. Acabado o curso, candidatei-me a uma vaga professoral e graças à bondade burocrática, obtive um cobiçado lugar.
O tempo livre permitiu-me desenvolver o meu lado empreendedor. Fundei uma empresa com sede na Madeira, e hoje sou um homem rico e um rico homem.
Obrigado a todos os que me ajudaram.
Bem aja.»

Entre parênteses

As Aventuras de Buck Rogers no Século 25

O Zé agora é doutor


Ementa do dia

A sopinha de entropia
está como deus mandaria
se acaso eu fosse crente,
menino. Coma agora
que está quente.
Não gosto de fazer sopa
muito limpa e ordenada.
Não espirra, não sai por fora,
então é sopa expirada.
O caldo quer-se gingão e com
vontade própria. Senão,
mais vale não comer nada.

Óscar Machico, in «Menu despido», Edições Colheita Hermenêutica, 2004

Portugal dos pequeninos

(mail à moda do Gato Fedorento que anda por aí a circular feito louco)

«O que aconteceu foi que eu estava em Belém na inauguração da maior árvore de Natal da Europa, sim, repito: da Europa, porque nós quando fazemos as coisas é em grande, e virei-me para um turista que lá estava e disse-lhe:
- Lá na tua terra não tens disto pois não? A maior da Europa, a MAIOR!
E o gajo vem com uma conversa... que não sei quê, que "no meu país preferimos gastar dinheiro em outras coisas, por exemplo a evitar que rebentem condutas de água que levam ao abatimento do solo e dessa forma prejudiquem milhares de pessoas" mais não sei quê e mais o camandro! E eu, que até sou um gajo que, épá, tenho uma facilidade na exposição de argumentos, não é?, não me fiquei e disse-lhe logo:
- A maior da Europa! Toma! Embrulha!
E o gajo começa a falar que não sei quê, que lá no país dele "quando começa a chover as zonas ribeirinhas não ficam inundadas e que talvez fosse melhor que em vez da árvore o dinheiro fosse canalizado para evitar essas situações" e ai... Eu comecei a enervar-me e disse ao gajo:
- Mau, tu queres ver que nos temos que chatear? Eu estou aqui a expor argumentos que, épá, sim senhor, tás a ver?, e tu vens com essa conversa de não sei quê e não sei que mais. Eu nem quero começar a falar na feijoada em cima da ponte nem no desfile de pais natais, porque senão nem sabias onde te metias, ó pá.
E o gajo começa a falar de uma coisa qualquer tipo túneis que são construídos e ficam a meio e não sei que mais e eu virei logo costas... Porque quando eu vejo estes gajos, pá, que não conseguem aceitar a superioridade de um país, não é?, e ainda falam, falam... falam, falam... falam, falam... e não dizem nada... eu fico chateado, claro que fico chateado!»

ADENDA: A VERDADE DA MENTIRA
Avisam-se os senhores utentes que, ao contrário do que anda para aí a ser espalhado e que muito nos agradaria e encheria o ego, este texto não é da autoria dos The Galarzas. Esta bela prosa foi-nos enviada por um e-leitor anónimo que não se quis dar a conhecer e que nem sequer fazemos ideia quem seja. Ao autor, as nossas sevícias. Ao nosso e-leitor desconhecido, idem aspas. Aos Gatos, as nossas bolas de pelo. Aos e-leitores embarretados, os nossos humildes engrandecimentos e devidas apologias. Ao geral, as nossas estimadas melhoras.

25.11.04

O Espelho

O espelho foi para o lixo. Escusas de voltar a ligar. Esse problema já não temos nós, que eu não ando aqui para ver limpar navios. Bem podes dizer que vais pôr um processo em tribunal que a mim não me afecta nada. Tribunais já eu tive dois e vendi-os a um invejoso da Rua da Madalena que queria converter em padaria. Ou fábrica da panificação, como se diz agora. Por isso minha menina, vais dar com os pés na parede se quiseres mais conversa acerca desse espelho.
Parti-o em bocadinhos tão pequenos que não vale a pena sequer fazer um puzzle. Olha, mais vale que te deites duma ponte abaixo do que continuares a falar-me de heranças da tua avó. Eu quero lá saber do século 18 para alguma coisa, e das molduras, e dos entalhes, dos dourados ou dos douradores! Uma porcaria velha, mais velha que as nossas vidas todas juntas e um escarcéu do diabo por uma coisa destas. Pois que tivesse o valor que bem queiras, para mim só tinha dado chatices.
Quero lá saber dos sete anos de azar, ó bruxinha mal ensaiada! E eu aqui a rir-me das tuas fosquices, a dançar em cima da sopa que tu andas a entornar há tanto tempo. Põe mais mel, amorzinho, põe mais mel, que é para me adoçares os ouvidos.

Há constipações que vêm por bem.

Poema de: Federico García Lorca

Soneto de la Dulce Queja

Tengo miedo a perder la maravilla
de tus ojos de estatua y el acento
que de noche me pone en la mejilla
la solitaria rosa de tu aliento.

Tengo pena de ser en esta orilla

tronco sin ramas; y lo que más siento
es no tener la flor, pulpa o arcilla,
para el gusano de mi sufrimiento.

Si tú eres el tesoro oculto mío,
si eres mi cruz y mi dolor mojado,
si soy el perro de tu señorío,

no me dejes perder lo que he ganado
y decora las aguas de tu río
con hojas de mi Otoño enajenado.

Compilemos todos juntos

Como sinal de respeito por uma velha tradição natalícia, os The Galarzas preparam-se para editar em breve a sua primeira compilação de êxitos ao vivo em DVD. Seguindo as pisadas da Britney, da Kylie e da Tina, ou do Robbie Williams e do Phil Collins, ou dos Placebo e dos Silence 4, os The Galarzas apresentam The Best of - Live - The Singles 2003/2004. O disco que faltava no seu Natal! Inclui os êxitos O Meu Sonho .72, Poema de: Annaes do Reino e Diálogos de Pardal Maluco, além de um inédito inaudito.

24.11.04

Vasco da Gama era surdo?

Atenção a todos os utentes dos cinemas Warner-Lusomundo do Centro Comercial Vasco da Gama, em Lisboa. Se alguma vez vos calhar em sorte ir ver um filme na Sala 3, levem aparelhos para a audição. É que NÃO SE OUVE NADA! NADA, pôrra!

Sky Captain e o PCP de Amanhã

O Partido Comunista Português bem que podia aprender com o filme Sky Captain and the World of Tomorrow. No filme de Kevin Conran, a tecnologia moderna permitiu recuperar velhas imagens de Sir Laurence Olivier e trazê-lo de volta do mundo dos mortos, fazendo do falecido actor o vilão de um filme do Século XXI.

Ora, também o PCP (que, por sinal, ainda vive nos mesmos anos 30 de Sky Captain) poderia abusar dos efeitos para resolver a questão da liderança - talvez pudessem devolver o partido a uma imagem holográfica de Álvaro Cunhal. Ou até do Camarada Vasco, pá. E assim, estaria o PCP pronto para enfrentar os desafios do Século XXI.

Remodelação, não! Reajuste

Rui Não Sei Quantos da Silva deixa de ser Ministro - passa a Braço Direito. Mogais Sagmento já não é só Ministro do Palhaço Rico - agora é Ministro do Palhaço Rico e dos Assuntos Circenses. Henrique Quem? passa a Ministro dos Putos e do Futebol. No fundo, tudo na mesma... as moscas só mudaram de nome, o circo continua. E nós somos cada vez mais os palhaços pobres.

Tens um Gomes da Silva para a troca?

A remodelação, segundo o acordeonista.

O meu sonho .185

O meu sonho é o regresso das faltas de luz para cheirar o petróleo dos candeeiros.

Diriquê?


A noite está tão escura



Não há epíteto
Só epidoral
Que leve deste vento
O Morais Sarmento
Pra longe de Portugal

Não há memória
Ou cristal de DNA
Manhã, sargaço, altiva
Bomba de neutrões invisível
Sobre Rui Gomes da Silva

Não há espaço
Bola de cristal
Bandos de ladrões e aves
Que de uma assentada biquem
O pobre Henrique Chaves

O bando
Está prestes a dar o poder
Ao Sócrates
Líder do contra-bando

O filme de final feliz
Estreará
Breve, muito em breve,
Numa sala longe de si

Supositório 2º

Se em Roma tivesse existido um corpo de bombeiros de qualidade, com Canadairs, Helicópteros, auto-tanques e escadas, o incêndio de Agosto de 64 teria sido debelado a tempo de não destruir grande parte da cidade? Se Nero fosse afinal um tipo porreiro e não tivesse tocado na lira; se os incendiários tivessem sido presentes a tribunal e condenados, seriamos hoje uma província romana? Teríamos uma tradição judaico-cristã para consagrar na Constituição Europeia?

Supositório

E se Sam não tivesse tocado outra vez a porcaria da canção lamechas, teria Ingrid Bergman passado a frequentar outro bar? E Victor Laszlo, teria conseguido arranjar lugar no avião para a América? E a Alemanha teria ganho a guerra?

The Future Dictionary of America

«bush [bush] vi. 1. to land a job or position for which one is egregiously unqualified, esp. through unscrupulous means: to bush it back to Crawford. 2. to take a long and unearned vacation. 3. to sneak home during working hours: Mr Bemis was off with the truck for three hours, so I bushed it back to Crawford for a quick snort and a nooner with Sally Mae. 4. [since 2005] to be sent back to the place of one's origin, esp. in disgrace.

bush [bush] n. 1. a poisonous family of shrubs, now extinct.»

The Future Dictionary Of America

23.11.04

O meu Sonho .18

O meu Sonho era pornográfico, hard-core 1ª escalão.

Política de série-B

Em jeito de engrandecimento pelo gesto altruísta da nossa posta de antes d'hoje, o nosso mui gentil e-leitor d'além mar fez-nos entretanto chegar um seu outro ensaio que, como se poderá constatar, nos toca muito profundamente e onde disserta sobre a influência dos exploitation movies americanos e dos filmes de série-B europeus na política portuguesa moderna. Só por isso, aqui partilhamos também este estudo fundamental para a consciência política e social do Portugal contemporâneo.

«THE INFLUENCE OF AMERICAN EXPLOITATION CINEMA AND EUROPEAN B-MOVIES IN PORTUGUESE MODERN POLITICS

The subject of the influence of american exploitaition cinema and european B-movies in portuguese modern politics is a controversial issue. I find my self constantly drawn back to the subject of the influence of american exploitaition cinema and european B-movies in portuguese modern politics. Given that its influence pervades our society, the influence of american exploitaition cinema and european B-movies in portuguese modern politics is not given the credit if deserves for inspiring many of the worlds famous painters (and, of course, some of the portuguese leaders). It is estimated that that the influence of american exploitaition cinema and european B-movies in portuguese modern politics is thought about eight times every day by the upper echelons of progressive service sector organisations, many of whom blame the influence of television. Relax, sit back and gasp as I display the rich tapestries of the influence of american exploitaition cinema and european B-movies in portuguese modern politics.

Social Factors

Society is a simple word with a very complex definition. When Lance Bandaner said 'twelve times I've traversed the ocean of youthful ambition but society still collects my foot prints' [1] he globalised an issue which had remained buried in the hearts of our ancestors for centuries. Difference among people, race, culture and society is essential on the survival of our world, however the influence of american exploitaition cinema and european B-movies in portuguese modern politics provides standards by which we may judge our selves.

Our post-literate society, more than ever before, relies upon the influence of american exploitaition cinema and european B-movies in portuguese modern politics. It breaks the mould, shattering man's misunderstanding of man.

Economic Factors

The dictionary defines economics as 'the social science concerned with the production, distribution, exchange, and consumption of goods and services'. We will begin by looking at the Fish-Out-Of-Water model, a lovely model.

There are a number of reasons which may be attributed to this unquestionable correlation. Well inflation plays in increasingly important role in the market economy. Strong fluctuations in investor confidence have been seen over the past two financial years. Blame it on the State Budget of Bagao Felix? No! It is once more the influence of american exploitaition cinema and european B-movies in portuguese modern politics.

Political Factors

Politics, we all agree, is a fact of life. Comparing international relations since the end of the century can be like observing night and day.

In the words of award winning journalist Bartholomew H. Amster 'Man's greatest enemy is complacency with regards to personal and political hygiene.' [2] What a fantastic quote. Perhaps the word which sums up the importance of the influence of american exploitaition cinema and european B-movies in portuguese modern politics to politics is 'participation'. Or the lack of it - since the portuguese modern politics excludes the people of 'participation'.

While the influence of american exploitaition cinema and european B-movies in portuguese modern politics may be a giant amongst men, is it a dwarf amongst policy? I hope not.

Conclusion

To reiterate, the influence of american exploitaition cinema and european B-movies in portuguese modern politics is, to use the language of the streets 'Super Cool.' It questions, provides financial security and it brings the best out in the people that lead the country (minister Paulo Portas and his faithful prime-minister Pedro Lopes could easily be key characters of an italian soft-core B-movie from the 70's, just as the last six months of portuguese social and political life seem to have been ripped off from an old out-of-Hollywood exploitation movie).

As a parting shot here are the words of super-star Clint Cruise: 'I would say without a shadow of a doubt: the influence of american exploitaition cinema and european B-movies in portuguese modern politics ROCKS!!!' [3][*]

--------------------------------------------------------------------------------
[1] Lance Bandaner - Adventurous Spirit - 1993 See-Saw Publishing
[2] Amster - The Popular Vote - 2002 Worldwide Publishing
[3] Go mad for the influence of american exploitaition cinema and european B-movies in portuguese modern politics - Issue 132 - Kendeal Books
[*] Essay Generator - Random Essay #2, 2004
»

Aquela Barra é Azul

Frank Gehry remodela túneis de Lisboa
Álvaro Cunhal é o novo secretário-geral do PCP

103.7 FM

Na senda de dar ao mundo a melhor notícia, a melhor música, o melhor fim-de-semana, The Galarzas orgulham-se de apresentar a Rádio Regional ABC, que transmite algures entre a Extremadura e a Beira Litoral e, quando o vento está de feição, ouve-se de Aveiro a Lisboa.

A ABC tem uma magnífica programação, de onde se destaca o programa nocturno, das 0h00 às 7h00, que encerra um lindo jingle onde TODOS os ouvintes da emissora têm direito a referência nominal.

Mas há mais: a total ausência de playlist dará aos ouvintes uma nova forma de olhar a rádio. Porque, sim, é possível ouvir Madalena Iglésias, uma ária e o hino do Sporting, de enfiada!

ABC, em 103.7 FM. Agora tente.

22.11.04

A Escola das Celebridades

Parece que os "célebres" Ana Afonso e Alexandre Frota vão unir os trapinhos algures por este cantinho à beira mar plantado e pretendem criar uma escola de representação para crianças. Atendendo ao género cinematográfico a que o brasileiro se tem dedicado nos últimos tempos (a pornografia), pergunto qual será o conteúdo prático-teórico das aulas... Entretanto, consta já que o primeiro workshop da escola será efectuado na Casa Pia.

O meu Sonho .183

O meu sonho era um facto macaco.

Serviço Público

2 de Dezembro - Quinta-Feira, às 19 horas
Salão Nobre nos Paços do Concelho
1ª Parte: Escola de Música do Conservatório Nacional - “Jornal de Modinhas Luso-Brasileiras dos Séculos XVIII e XIX”
2ª Parte: Mário Laginha e Bernardo Sassetti

4 de Dezembro - Sábado, às 21 horas
Igreja dos Paulistas (Calçada do Combro)
Trio de Cordas Serenata -Mozart; J.S.Bach; Boccherini; Vivaldi; J. Rayden; T. Albinoni;

5 de Dezembro - Domingo,
às 16 horas
Igreja de S. Vicente de Fora
Orquestra Barroca Capela Real e Coro Voces Caelestes

às 19 horas
Igreja de S. Nicolau (Baixa)
Coral Lisboa Cantat - (Missa)

8 de Dezembro - Quarta-Feira, às 21.30
Igreja Italiana de Nª Sra. do Loreto (Chiado)
Coro & Ensemble de Sta Maria de Belém

10 de Dezembro - Sexta-Feira, às 21 horas
Igreja da Madalena (Baixa)
Cravo, Órgão e Flauta com Marcos Magalhães e António Carrilho

11 de Dezembro - Sábado
às 19.30
Igreja de S. Nicolau (Baixa)
Orquestra Sinfonietta de Lisboa

às 21 horas
Igreja de S. Luís dos Franceses (Portas de Santo Antão)
Grupo Coral da Igreja de S. Luís dos Franceses,

12 de Dezembro - Domingo
às 16 horas
Igreja de Nª Sra. da Ajuda (Ajuda)
Coral Lisboa Cantat

às 17 horas
Igreja de S. Miguel (Alfama)
Violinhos - “Concerto para violino em Lá Menor” de A. Vivaldi...

17 de Dezembro - Sexta-Feira
às 21 horas
Igreja do Convento dos Cardais (Rua do Século)
Ensemble Barroco do Chiado

às 21.30
Salão Paroquial da Igreja de Nª Sra dos Anjos com a Escola de Música do Conservatório Nacional

18 de Dezembro - Sábado,
às 15 horas
Igreja do Coleginho (Mouraria)
Coro Ricercare

às 21.30
Igreja de S. Domingos (Baixa)
Orquestra Metropolitana de Lisboa e Coral Lisboa Cantat

19 de Dezembro - Domingo, às 16 horas
Igreja da Graça (Largo da Graça)
Concerto Coral Sinfónico com a Orquestra Sinfonietta de Lisboa e Coro Regina Coeli

O meu Sonho .182

O meu Sonho era ser Espartano e Parturiente.

Uma tese sobre os The Galarzas

Os The Galarzas receberam humildemente pelo correio a tese de mestrado de um seu mui gentil e-fã d'além-mar, que nos requisitou a sua partilha com o nosso e-leitorado. Deixamos pois aqui a sua tese, com os votos de uma boa nota.

«AN ESSAY ON THE GALARZAS

Think back to the first time you ever heard of the Galarzas. At first glance the Galarzas may seem unenchanting, however its study is a necessity for any one wishing to intellectually advance beyond their childhood. Given that its influence pervades our society, its influence on western cinema has not been given proper recognition. Since it was first compared to antidisestablishmentarianism much has been said concerning the Galarzas by those most reliant on technology, obviously. Keeping all of this in mind, in this essay I will examine the major issues.

Social Factors

Interweaving social trends form a strong net in which we are all trapped. Back when Vealinger reamarked ‘the power struggle will continue while the great tale of humanity remains untold’ [1] he shead new light on the Galarzas, allowing man to take it by the hand and understand its momentum. While deviating from the norm will always cause unrest amongst ones peers, the Galarzas smells of success.

Of paramount importance to any study of the Galarzas within its context, is understanding the ideals of society. It is intrinsically linked to adolescent inner acclimatisation.

Economic Factors

Do we critique the markets, or do they in-fact critique us? We will study the Greek-Roman model, a classic economic system of analysis.

Indisputably there is a link. How can this be explained? Of course housing prices will eventually break free from the powerful influence of the Galarzas, but not before we see a standardised commercial policy for all. The financial press seems unable to make up its mind on these issues which unsettles investors.

Political Factors

Politics, we all agree, is a fact of life. Looking at the spectrum represented by a single political party can be reminiscent of comparing pre and post war views of the Galarzas.

In the words of nobel prize winner Bonaventure Rock 'You can lead a horse to water, big deal.' [2] I argue that his insight into the Galarzas provided the inspiration for these great words. It would be wise to approach the subject with the thought that 'if you don't have anything nice to say, don't say anything at all'. However this can lead to missing out important facts.

I hope, for our sake that the Galarzas will endure.

Conclusion

In my opinion the Galarzas parades along man's streets and man waves back. It inspires, 'literally' plants seeds for harvest, and is always fashionably late.

What a great essay. Finally a word from super-star Beyonce Malkovitch: 'At first I was afraid I was petrified. Thinking I could never live without the Galarzas by my side.' [3][*]

---------------------------------------------------
[1] Vealinger - Turtle Power - 2003 ICJ
[2] Rock - Roll It Up - 1977 - F. Lower Publishing
[3] Smashing Hits - Issue 224 - Jazz Media»
[*] Essay Generator - Ramdon Issue #1, 2004

Divagar depressa

A palavra Diploma faz lembrar doenças malignas:
«Coitadito, os médicos já o desenganaram, tem um diploma».
Um corpo diplomático é um organismo minado, frágil, velho. Imagina-se o corpo diplomático na sede da colectividade a jogar à batota com a brigada do reumático. E quando há discussão, intervem logo alguém com diplomacia. Ou seja, com a doença.

O meu Sonho .181

O meu Sonho tinha pregos velhos, retorcidos e ferrugentos.

21.11.04

Relatório

A minha estatística está sempre correcta e não tem margem de erro, infelizmente.

CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA
A esburacar a cidade desde 2001

Diálogos

Diálogo entre os dois netos de João Baptista:

-Eia pá! Aquilo está mesmo cinzento!
-Cinzento!? Aquilo não é cinzento, é preto claro.

Eu Fui!


20.11.04

Boca a boca



Creme brullé
Ingredientes:

para caramelizar
1 xícara de açúcar

4 xícaras de creme de leite fresco
10 gemas
1 ovo graúdo
1 fava de baunilha (ou essência)
¾ de xícara de açúcar


Modo de Preparo:
Coloque o creme de leite em uma panela e leve ao fogo. Corte ao meio a fava de baunilha no sentido do comprimento. Retire as sementinhas da baunilha. Coloque as cascas e sementes no creme e aqueça até que comece a ferver nas bordas. Apague o fogo e reserve. Em uma tigela misture as gemas, o ovo inteiro e o açúcar. Coloque aos poucos o creme de leite bem quente, para obter um creme bem liso. Passe a mistura por uma para eliminar as sementes de baunilha. Pré-aqueça o forno no mínimo, cerca de 120 graus centígrados ou um pouco menos. Coloque 8 ramequins (refratários individuais) rasos com cerca de 12 cm de diâmetro por 2 cm de altura em uma assadeira e encha com o creme até cerca de ¾ de cada forminha. Leve ao forno e coloque água fervente na assadeira para preparar um banho-maria. Asse por aproximadamente 50 minutos. Verifique se o creme está firme, retire do fogo, deixe esfriar e coloque geladeira por no mínimo 2 horas. Para caramelizar, coloque o açúcar em uma peneira e polvilhe sobre os cremes. Com o maçarico apropriado caramelize o açúcar. Sirva decorando com frutas e chantilly.

Made in Italy

Três noites, três discos.

A confirmação de um infalível bando de bardos barbudos:

Bandabardò, Tre Passi Avanti (2004);

A descoberta de um veterano arrojado (com um piscar de olhos português):

Daniele Sepe, Anime Candide (2002);

A revelação inesperada de um acaso escondido num recanto:

Gatto Ciliegia contro il Grande Freddo, #1 (2000).

«Il gattino é la»

Roma. Quatro dias e três noites para um serão de trabalho e muitos minutos de reportamento. Muito quilómetro a pé, muita taglia de pizza, muito trânsito mal parado e il gattino preso no topo da Piramide, que os carabinieri têm mais que fazer. «- Parle inglesi? - No. Si parla italiano!». E a vontade de responder «Grazie tanto, motherfucker!». Alguém me explica em que país é que há aquela cena dos bombeiros que salvam gatos das árvores e dos telhados? E alguém me explica porque é que os Franz Ferdinand não ganharam nada? E, já agora, alguém me explica como é que a televisão italiana consegue ser pior que a nossa? Salve-se a greve e o dia extra, o cappuccino com corneto e a bomba con creme, la Feltrinelli e a Rinascita, a Bandabardò e Daniele Sepe e Gatto Ciliegia Contro Il Grande Freddo, a Via delle Paste, a Via de Burro, a Viale dei Verginni, a Vicolo del Gallinaccio, a Via de Capuccinni e a Taverna di Belezza...

I just blogged...

...to say I love you.

19.11.04

Saudinha

Vinhas branca a farejar
como um coelho albino ao luar
perdido na imensidão das estepes russas.
Eu disse saúde ao espirrar
e disse depois não tussas
pois não sei como espantar
os espíritos da tosse.
E ocorreu-me pensar
onde diabo estarão
os estribos do cavalo de Napoleão.

Óscar Machico, in «Não pedi salada de agrião», Editorial Badalo, 2004

O meu Sonho .180

O meu Sonho, às vezes, não se deixava ser sonhado.

O meu Sonho .179

O meu Sonho fingia adormecer para não me dizer qualquer coisa.

Poema de: K.J. Bcekjecmec

Um Poema de Despedida
Em 1920 o poeta molvano K.J. Bcekjecmec compôs este soneto que é tradicionalmente recitado aos visitantes que deixem (ou venham a ser deportados) do país.

Adeus ao visitante da nossa bela terra
A cujo solo pisando enriqueceste
Tanto quanto ele te enriqueceu, por
Tê-lo debaixo dos teus sapatos de viandante.

Adeus! Como amigos sinceros nos despedimos mas
Numa manhã de batalha poderemos encontrar-nos, talvez
E então um ao outro o sangue verteremos
E um ao outro cortaremos as gargantas.

E de morte se odiarão os nossos filhos
Assim, como entre Deus e a Natureza
Assim, como o Sol despreza a Lua
E o Burro as suas Orelhas.

Mas agora é tempo de erguer nossos cálices
E nos desejarmos bem um ao outro
Ainda que eu te maldiga e à tua família inteira,
Para toda a eternidade.

Um Problema

A redacção dos The Galarzas recebeu esta tarde/ noite uma carta anónima que dava conta da existência de um certa fonte de problemas, sem no entanto referir que tipo de problemas jorraria desse chafariz.
Informava-nos somente para a “gravidade da situação e para a premência dos desenvolvimentos futuros.”

Os The Galarzas souberam entretanto através do contacto com as autoridades que nenhuma perfuração artesiana com esse fim foi autorizada no último semestre, pelo que deve tratar-se certamente de uma exploração de problemas completamente à margem da lei. Informou-nos ainda o Cabo Felismino Vieira, da Brigada de Problemas, que “já foi aberto um Inquérito de Averiguações”, e que “o público e os cidadãos podem ter a certeza da mais cuidada reflexão.”
Apesar de ainda não haver confirmação factual aguardamos a toda a hora o jorrar de um emaranhado leito de difícil solução.

18.11.04

E se de repente voltássemos a reviver o passado em Brideshead?

Já foi há algum tempo, mas parece que ainda foi há bocado.*


Dois Galarzas numa cidade de Madrid


Outros dois Galarzas em Roma do Alentejo

*Frase de inspiração Américo-Thomazina

O imposto do pulmão



The Galarzas, assim de repente, lembram-se de umas coisas que também fazem mal e que deviam ser proibidas em locais públicos:

1 - Eleições
2 - Controlo da comunicação social
3 - Colocações manuais de professores
4 - Viagens do indivíduo abaixo retratado a Lisboa para compor ramalhetes com o PP
5 - PPR/E sem bonificação
6 - A lei das rendas para proprietários
7 - O José Luís Arnaut
8 - E a correspondente da RTP em Madrid
9 - Os feijões em lata, tirando a Compal
10- O Cavaco, deus do céu, o Cavaco outra vez

Bem, agora a sério...



...ele não é do Governo, pois não? Ainda não batemos assim tão no fundo, pois não? O Artur Portela não conseguiu os seus 15 minutos de fama dos tempos modernos à custa deste espécimen, pois não?

Já a vista nos fraqueja

Rosie



Eu, Rosie, eu se falasse eu dir-te-ia
Que partout, everywhere, em toda a parte,
A vida égale, idêntica, the same,
É sempre um esforço inútil,
Um voo cego a nada.
Mas dancemos; dancemos
Já que temos
A valsa começada
E o Nada
Deve acabar-se também,
Como todas as coisas.
Tu pensas
Nas vantagens imensas
De um par
Que paga sem falar;
Eu, nauseado e grogue,
Eu penso, vê lá bem,
Em Arles e na orelha de Van Gogh...
E assim entre o que eu penso e o que tu sentes
A ponte que nos une - é estar ausentes.


Reinaldo Ferreira

17.11.04

Lá diz o povo

Em , sê romano. Ciao.

Aviso à População

Atenção ao caminhar nas ruas. A maior parte dos pedestres não deve ser confundida com pederastas.

16.11.04

Saneamentos básicos

Os THE GALARZAS estão à espera que chegue a sua vez de serem desalojados deste cantinho que humildemente ocupam, pelo governo vigente ou por um pretensamente mais à esquerda e socrático que se lhe siga. Até lá, continuamos a seguir atentamente o processo de saneamento básico da nação e aceitamos apostas sobre quem será o sucessor de José Rodrigues dos Santos na lista de vozes a abafar.

Walk On The Bush Side

O serviço público The Galarzas não pára: eis mais outra pérola - desta vez, são os clássicos Imagine (de John Lennon) e Walk On The Wild Side (de Lou Reed) remixados pela inolvidável verborreia de W. Bush... Ora carregue lá outra vez no nariz do senhor presidente e ouça:

Imagine there's no heaven...

Ah, como é bonita a força das cantigas...

Sunday Bushy Sunday

Eis uma verdadeira pérola: o clássico rebelde Sunday Bloody Sunday, dos U2, "cantado" pelo Presidente dos EUA, George W. Bush... Ora carregue lá no nariz do senhor e ouça:

This song is not a rebel song...

Serviço público The Galarzas - unfuckinbelievable!

Relatório gastronómico The Galarzas

Lulas Receadas

Num bem localizado, bem decorado e bem frequentado restaurante da capital fomos descobrir um fantásticamente preparado prato típico das aldeias de pescadores de Andorra.
Trata-se das Lulas Receadas. Na verdade não passam de subsidiárias das mais prosaicas Lulas Recheadas, com as carnes e os temperos e ingredientes destas mas, preparadas só com um tipo especial de lulas, diferentes das comuns vendidas em qualquer estabelecimento mais tradicional.

Para a confecção destas Lulas Receadas são utilizados, exclusivamente, animais capturados em situação de stress. Existem várias formas de conseguir esta iguaria, sendo as mais comuns a perseguição e o susto. O sucesso deste prato depende da aplicação correcta destas artes de pesca em que o objectivo, para além da captura per se, consiste em fazer cansar ou assustar os animais, levá-los a uma situação de receio total em que todos os seus músculos se contraiam, enrijecendo-os até à eternidade.
Quando levado à boca do consumidor, cada pedaço destas lulas, duras, é uma lembrança, que nunca mais o deixará para toda a vida.

O nome do estabelecimento que produziu e nos serviu tal pitéu não será referido por motivos decoro e de ordem técnica.

Ti-nó-ni

Numa investigação levada a cabo pelos The Galarzas durante o dia de hoje, descobrimos que durante este período não foram cometidos nenhum crime de corrupção activa ou passiva, de branqueamento de capitais, de contrabando, contrafacção, nem nenhum outro particularmente violento. Soubémos ainda que não aconteceram acidentes graves e que em todo o país não aconteceram situações que justificassem a intervenção urgente das autoridades, ou das equipas médicas de intervenção rápida.
Portanto os The Galarzas recomendam que se desliguem as luzes de emergência dos veículos estacionados na Praça Dom Pedro IV em Lisboa.

Mala a metro

Subiste do cilindro ao luar
vociferando insultos em cirílico
a mala abandonada inda vai dar
pequena historieta em tom etílico

Naskova truski gorni bare Sasha
enquanto mais em baixo em pleno cais
a dupla segurança mira e acha
que a bomba poderá explodir em ais.

Óscar Machico, in «Furioso Gramático», Editorial De Mir a Daire, 1989

15.11.04

Poema de: Idálio Juvino

Fica tudo como era dantes?
Cada um por seu lado
A comer a medida quotidiana
E a carpir, a lamentar e a sorrir
De um desdém às coisas rituais
Que nunca chegaram a ser cumpridas

Moldando os sentimentos
Num barro descrito
Em palavras impróprias
Que se esboroam

Idálio Juvino, Pontapé na Temática, Editora do Galpão, Vila Nova da Barquinha 1994

Portugal, que Futuro?


Falta a TSF



Já lá vai o Marcelo
E o Fernando Lima
Ao Rodrigues dos Santos
Já lhe leram a sina

Ó meu bom São Sarmento
Que Deus o deixe e queira
Vê lá se pões na rua
O António José Teixeira

Não basta calar estes
Há inimigos por ai a esmo
Nem nos vale a livre voz
Do filósofo Mário Crespo

Pede ao Delgado rapidez
Que trate do assunto teu
Põe na rua, em 24 horas
O perigoso Pedro Tadeu

Haverá glória quando um dia
Ficar tudo como deve
E aniquilares de vez
Essa chata TSF

O Peixe ou a Carne

Aviso corrente polvilhado com coentros

Estimados leitões e subordinados irmãos:
Acabo de saber por fonte de luz que durante as mais de vinte horas que já leva este dia, ainda ninguém se dignou a conspurcar com as baixarias do costume as páginas verdes odiosas desta linda especulativa espelunca.
Como podereis entender pelo meu tom de voz, é este um facto que me está de momento a aborrecer presidencialmente.

Quero deixar claro que até às 24 horas de hoje, pelo menos um dos irmãos deve sentir-se obrigado a debitar para esta beluga mais alguma pérola da literatura, ou do anedotário internacional, ou caseiro.

Informo que a infracção desta directiva será punida com um aumento brutal da Galarxa, mas também com uma alteração definitiva nas refeições servidas em sede Galárzica. Não haverão mais cozidos, favadas, feijoadas ou sequer frangos assados e pizzas gordurosas.

Irmão, se não queres passar a comer vegetais e peixes cozidos, Posta!

O Ditador Vitalício

14.11.04

Poema de Daniel Johnston

Sorry Entertainer

Where the wind blows
That's where I go
Where the moon is
That's where I am
And when I just
Have a problem
Always hoping the wind will blow me away again
I'm a loner
I'm a sorry entertainer

Drove those demons
Out of my head
With an organ and a pencil full of lead
And when I'm dead
I'd like to have it said
He drove those demons out of his head
I'm a loner
I'm a sorry entertainer

Now the curtain parts the stage
It's the dawn of a new and exciting age
And I'm free
Free at last
Like a monkey out of its cage
I'm a loner
I'm a sorry entertainer

The Late Great Daniel Johnston

Pergunta

Pertinente em Haiku

Não há quem pague
o serviço público
deste azorrague?

Medicação

A minha medicação para curar uma ressaca de álcool: sigo rigorosamente as recomendações do Doutor Toni e reconheço que de facto uma Sagres vale bem mais que qualquer litro de ice tea.

Felizmente nós os The Galarzas não temos deveres institucionais nem somos visitados por crianças em idade escolar (talvez uma ou outra que trabalhe na indústria do calçado ou da construção civil), por isso não nos sentimos obrigados a fazer avisos contra o consumo abusivo de bebidas alcooólicas.

Poema de: Idálio Juvino

Os teus lábios em cor de manhã fria,
com todas as qualidades
da manhã, traziam um sorriso
que desprendia os meus
e me faziam sorrir.

E eu punha as cores
dos teus lábios nas cores
silvestres que nunca toquei.

E os meus ombros gelados
encolhidos, abriam-se
e encontravam espaço
para acolher a tepidez
das tuas lágrimas eventuais.

Eu que permanecia escondido,
deixava-me magoar
nos espinhos das palavras ríspidas
com as quais tu me embriagavas
e me censuravas as palavras más,
bebia da voz dos teus lábios
e recomeçava um sorriso.

Idálio Juvino, Pontapé na Temática, Editora do Galpão, Vila Nova da Barquinha 1994

Poema de: Rufus Wainright



Complainte de la Butte

La lune trop bleme pose un diademe sur tes cheveux roux
La lune trop rousse de gloire eclabousse ton jupon plein d'trous
La lune trop pale caresse l'opale de tes yeux blases
Princesse de la rue soit la bienvenue dans mon coeur brise

Les escaliers de la butte sont durs aux misereux
Les ailes du moulin protegent les amoureux

Petite mandigotte je sens ta menotte qui cherche ma main
Je sens ta poitrine et ta taille fine J'oublie mon chagrin
Je sens sur tes levres une odeur de fievre de gosse mal nourri
Et sous ta caresse je sens une ivresse qui m'aneantit

Les escaliers de la butte sont durs aux misereux
Les ailes du moulin protegent les amoureux
Et voila qu'elle trotte la lune qui flotte, la princesse aussi
La da da da da da da da da da
Mes reves epanouis

Les escaliers de la butte sont durs aux misereux
Les ailes du moulin protegent les amoureux

À atenção do Sr. Presidente do Metropolitano de Lisboa

Excelentíssimo Dr. Kilómetro,

Os The Galarzas vêm por este meio propor algumas alterações à rede de transportes que V.Exa. subterraneamente dirige e que cremos poderem vir a contribuir para aproximar os lisboetas das estações, uma vez que dentro das carruagens impera há muito a proximidade e que, com o novo sistema de acessos, também à entrada para o cais os cidadãos desta cidade podem facilmente pôr em prática a máxima bíblica «ama o teu próximo».

Estas inovações, Dr. Kilómetro, dizem respeito à nomenclatura das estações. Dir-nos-á talvez que o hábito faz o monge, mas nunca vimos nenhum no Metro.
Há que actualizar as referências histórico-sociais.

Permita-nos pois algumas sugestões:

Baixa-Chiado – Surpreende que dois outros notórios poetas não tenham ainda saltado da tumba indignados. Impõe-se que alternadamente esta icónica estação se chame Baixa-Pessoa e Baixo-Camões.

Restauradores - A Restauração, quem se lembra ainda dela? Em contrapartida, há ainda muito lisboeta que recorda com saudades o Restaurador Olex.

Campos (Pequeno, Grande e Entre) - O C.Pequeno chamar-se-ia Praça Otelo e o C.Grande passaria a ser o Salgueiro Maia é Grande. É claro que Entre-Campos teria que mudar para Entre-Oficiais.

Intendente - o nome Proxeneta é mais condizente com as actividades prevalecentes nesta zona, e tem além disso bela sonoridade.

Laranjeiras - seria aconselhável alternar com Roseiras consoante o partido governante na altura.

Telheiras - Lusalites sempre é mais moderno.

Sr.Roubado - Contemplem-se outras vítimas: Sr.Desempregado, Sr.Espoliado, Sr.Espancado, Sr.Drogado. E as senhoras, claro.

Olivais - talvez Eucaliptais ou Campos de Golfe sejam imagens mais realistas.

Estação do Oriente - a crescente população de russos, ucranianos e moldavos reclama uma Estação de Leste.

Rato - mude-se para Rato Mickey e talvez se possa contar com um patrociniozito. Se a opção for a dos nichos de mercado, os apreciadores de UB40 veriam com bons olhos o epíteto Rato in my kitchen.

Roma - e porque não Vaticano? Não temos nós um estado católico? Ah, estão a dizer-me que não. É que muitas vezes parece.

Alto dos Moínhos - honremos os nossos aliados americanos. Alto das Plataformas Petrolíferas serve o propósito.

Pontinha - pontinha, Sr.Dr. ?!?! Não há-de a população portuguesa diminuir, com tão envergonhados estímulos? Tenhamos Tusa ou Pau-Feito e seremos 15 milhões em 2020.

A guarda de ferimento.

13.11.04

Galárzia do Cinema

O celebrado realizador Quentinho Tarantinho encontra-se em estúdio a ultimar a montagem do seu mais recente filme, «Preso por ter cão» que, à semelhança do anterior, será dividido em duas partes. Em 2006 os fãs de Quentinho poderão ver a sequela, com o título «Preso por não ter».

Poema de: Zladko "ZLAD" Vladcik

ELEKTRONIK SUPERSONIK

Hey baby wake up from your asleep
We have arrived on to the future
And the whole world is become

Elektronik supersonik,
supersonik elektronik

Hey baby ride with me away
We doesn’t have much time
My blue jeans is tight
So on to my love rocket climb
Inside tank of fuel is not fuel
But love
Above us there is nothing above
But the stars above

All sistems gone prepare for downcount
Five, four, three, one, offblast

Fly away in my space rocket
You no need to put money in my pocket
The door is closed I just lock it
I put my love plug in your socket

The sunny sky is burn like fire
You and me gets higher and higher
Out of comunication wire
Only thing can stop us is flat tyre

Hey, love crusader
I want to be your space invader
For you I would descend
the deepest moon crater
I is more stronger then Darth Vader
Obey me, I is your new dictator
For you is Venus I am Mars
With you I is more richer then all the Tzars
Make a wishes on a shooting stars
Then for you I will play on my cosmic guitars

Ladies and gentlemen fasten your belt seats
We has comenced our descent
I trust you enjoy this flight
As much as you enjoy this accent


Now back on earth is time for downsplash
In to sea of eternal glory my sapceship crash
People have arrived for to shear
Me from near and far
And has I float I open door and shout:
I world’s biggest washed up superstar

As more sure as the sun rises in the West
Of all the singers and poets on earth I am the bestest
Come let me put ring of Jupiter upon your finger
then like a smell around you I will Forever linger

OK, is time for hear no more what I sing
And let me take you back in time
I want for you to experience big bang

Long live Space Race
Long live Molvanîa

ELEKTRONIK SUPERSONIC, Zladko "ZLAD" Vladcik

JMF à Figo!

Tal como o Luís Figo da Selecção, parece que também o JMF vai fazer uma pausa lá nas terras dele. Esperemos que, tal como o Figo, não seja um adeus mas apenas um até já.

12.11.04

Um aviso via mail

«INFORMAÇÃO IMPORTANTE

O Banco Central Europeu e a Organização Mundial de Saúde, revelaram que as notas de 500 euros contêm uma substância altamente cancerígena.

O Governo diz que os trabalhadores portugueses estão totalmente fora de perigo.
»

Um convite via mail

«CONVITE AO MOMENTO DE REFLEXÃO

Convidamos-lhe a saborear semanalmente belíssimas reflexões, através das mensagens do Momento de Reflexão.

São mensagens positivas, com fundo espiritualista, que o levarão a profundas reflexões acerca de temas que o envolvem no cotidiano.

O leitor recebe as mensagens diretamente em seu e-mail, embaladas com músicas selecionadas e lindas figuras. E não paga nada por isso.

Você pode ler algumas delas antes de aceitar, acessando nosso site: www.reflexao.com.br.

Para aceitar o convite, clique no link abaixo ou reponda essa mensagem, digitando a palavra "aceito" no assunto ou no corpo da mensagem. Caso não o aceite, basta ignorar essa mensagem.

Junte-se a nós e faça parte dessa comunidade que conta com dezenas de milhares de leitores.
»

Ouvido na rua

«- É pá, ouviram? O Santana Lopes disse que pensa...
- Ah! Disparate!»

Guerra e Paz


O caso do Congresso

Na linha de partida para mais um encontro nacional de (alguns) sociais-democratas / populares-democratas, começam a aflorar-se dúvidas inquietantes:

- quem vai receber uma cavacada nas costas?
- quem vai ser o mais duro de entre os duros?
- quem vai protagonizar os maiores flopes?
- quem vai dar ferro e leite aos cansados?
- quem vai marcar o mendes?
- quem vai comentar o domingo?
- quem vai atirar a primeira pedra?
- quem vai ganhar?

Um bagão

O ministro das finanças teve uma crise de hipertensão. A partir de hoje, em Barcelos, o primeiro-ministro vai ter uma crise de hiper-atenção.

Resposta Interna

(de interesse zero)

Pois esse é que é o dito milagre! Daí as castanhas e a água-pé...

Poema de: Johnny Burke / James Van Heusen

But Beautiful

Love is funny or it’s sad
Or it’s quit or it’s mad
It’s a good thing or it’s bad

But beautiful
Beautiful to take a chance and if you fall, you fall
And I’m thinking I wouldn’t mind at all
Love is tearful or it’s gay
It’s a problem or it’s a play
It’s heartache either way

But beautiful
And I’m thinking if you were mine
I’d never let you go
And that would be
But beautiful
I know
Love is beautifull
I know

Billie Holiday, Lady in Satin, CBS 1958

O Feijão

Felizmente já é dia doze. Já acabaram as festividades do dia de São Martinho que ninguém sabe quem foi; porque é que se lhe comemora um dia; a que propósito vêm as castanhas e a água-pé.
Felizmente acabou, já pode acabar o dito Verão e voltar a chover, espero que muito. Chuvas toda a manhã, por muitos dias. Felizmente onze de Novembro não chega a ser um ensaio para a quantidade de dias felizes que estão para vir.

Não esqueça de pôr o feijão de molho.

O meu Sonho .178

O meu Sonho é não pensar os meus pensamentos.

11.11.04

O meu sonho.177

O meu sonho é trabalhar.

O meu Sonho .176

O meu sonho é materializar os meus pensamentos.

Pergunta Interna

(de interesse zero)

Era de noite e assim que o São Martinho pôs a capa em cima do mendigo a chuva parou e o Sol brilhou?

Chinesices

Menos de 1% de chineses, apenas 100 milhões de pessoas, portanto, ouviu alguma vez falar do irmão gémeo de Mao-Tse-Tung. Como seria hoje o mundo se Bom-Tse-Tung não tivesse morrido aos dois anos de idade dum ataque súbito, fulminante e mortífero de Béri-Béri?

10.11.04

Verde - Código - Verde

Os The Galarzas apresentam-se hoje aos seus estupendos e-leitões numa toada visivelmente queixosa e sem fulgor. Estamos em baixa de forma. Eu próprio senti-me um tanto ou quanto merdoso e a única coisa de bom que consegui retirar deste dia foi a volta dos meus dois maridos, com quem deduzi este rol de livros, editados nos últimos meses, acerca do mestre da arte renascentista Leonardo Da Vinci e de um certo Código que este terá escrito, mas que por acaso não chegou a entrar em vigor.

- O Sangue de Cristo e o Santo Graal - A História por detrás de "O Código Da Vinci";

- "O Código Da Vinci lido na retrete" – Apreciação compulsiva;

- "O Código Da Vinci" aplicado às estradas de Portugal;

- Angels & Demons - Se gostou do "Código de Da Vinci", leia também "Angels & Demons";

- Marianna Tonneli – "O Código Da Vinci" escrito pela criada de quarto;

- 97899856003 – O Código de Barras do "Código Da Vinci";

- Confissões de um "Código Da Vinci" perdido nos tempos;

- "O Código Da Vinci" - Leitura do primeiro capítulo disponível!;

- "O Código Da Vinci" em vinte e cinco minutos;

- "O Código Da Vinci" salvo do naufrágio por Luiz Vaz de Camões - A História secreta que ninguém mais quis contar;

- O Código Da Vinci Descodificado - O Guia Não Autorizado dos Factos por Detrás da Ficção;

- Da Vinci escrevia em calções – "O Código Da Vinci" que só eu podia escrever;

- Eu li "O Código Da Vinci" – Revelações fulgurantes de uma operária metalo-mecânica de Santo Tirso;

- Galileu Galilei – O inculto que nunca leu "O Código da Vinci";

- "O Código Da Vinci" Ilustrado para crianças;

- Michel de Nostradamus não sabia nada do "Código Da Vinci" – E tinha raiva de quem soubesse;

- "O Código Da Vinci" panado no pão;

- O Segredo dos Templários: O Destino de cristo - A investigação que deu origem a "O Código Da Vinci";

- A problemática dos prolegómenos ao "Código Da Vinci";


- "O Código Da Vinci" é uma fraude e posso prová-lo! - Denúncia de Zandinga já vem de longe.

Confissões de um chico-esperto amargurado em dia não

«Foda-se!»

O meu Sonho .175

O meu sonho é tristonho...

O meu Sonho .174

O meu sonho está sempre um passo à frente de mim...

O meu Sonho .173

O meu sonho era ter coragem para acabar com os meus sonhos.

O meu Sonho .172

O meu sonho não é meu - foi roubado.

O meu Sonho .171

O meu sonho acordou-me...

O meu Sonho .170

O meu sonho é um pesadelo.

RTP memória

Saudamos o novel canal RTP Memória. Ontem, no dia em que começou a transmitir para Lisboa, ofereceu-nos uma actual entrevista de Cavaco Silva sobre o Muro de Berlim. Como se fosse hoje...

Se Néques

Os estabelecimentos de restauração deste país estão apinhados de licenciados em linguística.

«Um copo de água ou um copo com água?»,
perguntam com ar sonhador, pensando em Chomsky e Saussure.

9.11.04

Photomaton

Há quarenta e dois anos que Inocêncio Neves trabalha na mesma empresa de aluguer de automóveis. Sabe tudo sobre o negócio. Os colegas chamam-lhe O Mestre da Avis.
Tanta dedicação laboral roubou-lhe experiência de vida. Ainda hoje Inocêncio pensa que despir uma mulher na cabeça é tirar-lhe o chapéu.

Realidade Virtual

«A EMEL nunca existiu», lembra-nos um sob o convite «idem ver esta palhaçada».

A solução!

Ar afat

Foice. Agora, martelo.

Diários Inconfidentes I

Por falta de assunto sobre o qual dissertar, pondero mudar. Voltar para trás, rumo ao conforto do lar primeiro. Desligar de uma vez por todas os laços com um passado recente, tornar-me um pária, viver à conta de quem trabalha e dos seus impostos. Como compreendo agora os detentores do grande capital, quando actuo como eles. Cancelo a conta do telefone e da Internet, devolvo os poucos electrodomésticos às suas embalagens de origem e gozo o prazer de nada fazer. Que se lixem as hipóteses de uma carreira, os Luís Delgado, Pedro Santana Lopes, José Sócrates, Paulo Portas ou George W. Bush desta vida!

«Beware, beware...!»

It's not just bad filmmaking... It's bad porn!

8.11.04

O meu Sonho .169

O meu Sonho eras tu.

Xeque-Mate

O jovem Zharkhos grunhia enterrado na poltrona enquanto movia os pequenos bonecos pretos, pensativo, furioso.
Laika, a cadela ladina, latia à sua volta, saltava e arfava com alegria.
A dona Alzira movimentava a Torre, displicente, pensando no refogado para o arroz mlandrinho.

Zharkhos esboça um sorriso irónico. Movimenta a Rainha para uma casa de muito má fama, inadvertivamente, sem suspeitar da cilada que lhe estava armada pela gerência.

Laika corre ansiosa pela casa toda.

Dona Alzira, com o pensamento completamente voltado para o bacalhau com arroz, tem súbitamente um rasgo, salta no tabuleiro e ruge para o jovem adversário: Xeque-Mate!

«ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ»

«ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ
It's the most remarkable word I've ever seen.

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ
I wish I knew exactly what I mean.
It starts out like an A-word,
As anyone can see
But somewhere in the middle
It gets awfully QR to me.

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ
If I ever find out just what this word can mean,
I'll be the smartest bird the world has ever seen.

It might be kind of an elephant,
Or a funny kind of kazoo.
Or a strange exotic turtle
You never see in a zoo.

Or maybe a kind of a doggie
A particular shade of blue.
Or maybe a pretty flower
Naah, not with a name like that...uh, uh!
»

(?)

É a Contagem Decrescente Final (para os votos)


A contagem decrescente final

Vamos partir juntos,
mas ainda é o até à vista
e talvez voltemos
à Terra, quem o poderá dizer?
Acho que há ninguém para inculpar.
Deixamos o chão
Serão as coisas iguais outra vez?

É a contagem decrescente final...

Vamos a caminho de Vénus e ainda estamos de pé
Porque talvez nos tenham visto e dado boas-vindas
Com tantos anos-luz para ir e coisas a ser encontradas
Estou certo que teremos muitas saudades dela.

Hino Oficial para a Campanha de Aníbal Cacavo e Silva à Presidência da República

(Gentilmente cedido pelo conjunto musical Europe e traduzido para português por The Galarzas à procura de um tacho)

7.11.04

Gorgonzola

Vaticino ao Vaticano
doze meses de bom ano.
Canalizo a Berlusconi
chumbo em cilindro no cano.
Cicio à Cicciolina
porco e doce ao ouvido.
Digo de moi para mim
Machico, é nulo o sentido.

Óscar Machico, in «Maré Mamaiala», Editora Pinóquio Ardido, 2004

Cigarro Molhado

«A cultura é um dado universal e tudo o que o homem acrescenta à Natureza é cultura, toda a obra do homem é cultural. Porém, os homens não acrescentam coisas à Natureza da mesma maneira: cada grupo tem a sua forma peculiar de acrescentar, de transformar. Daí o facto de existirem culturas particulares, descontinuidades significativas da cultura como dado geral da humanidade.

A cultura não é geneticamente transmitida, mas herdada socialmente.

Existe uma certa interinfluência entre os mundos do biológico e do cultural: por exemplo, na cultura portuguesa sentimos fome a determinadas horas porque se convencionou comer naquelas mesmas horas.

Embora as culturas sejam diferentes e diferenciadas, há contudo factos culturais universais que nos fazem pensar em tendências absolutas do homem para se comportar de determinada forma, muito perto do biológico: abrigo, vestuário, procura de alimentos, proibição do incesto, etc.

Existem duas esferas intimamente ligadas ao Homem: a da cultura, acervo de coisas fisicamente refenciáveis ou não (as ideias, os símbolos, as abstracções, etc.) e a das relações sociais concretizadas pelos objectos culturais (lato sensu). Não há homem sem cultura nem cultura sem sociedade; porém, a sociedade é "mais qualquer coisa do que a soma dos indivíduos".»

Augusto Mesquitela Lima, Benito Martinez e João Lopes Filho, Introdução À Antropologia Cultural, Editorial Presença, 7ª Edição, Lisboa 1987

Igualmente, sr. Presidente

O meu Sonho .168

O meu sonho é chegar à idade da inocência.

Afinal, foi ele quem ganhou a Casa Branca

Cuidado com o euro.

O UFO de Varginha

Enquanto o mundo se distrai com a mais mundanas chatices, eis que chega ao nosso conhecimento um facto incrível: o rapto de um extraterreste pelas autoridades brasileiras. Tudo se passou na mais profunda das escuridões, no mais terrível dos segredos, na mais inquietante operação policial de que há memória.

Três testemunhas viram, de forma inequívoca, aquele que viria a ser conhecido, de ora em diante, pelo extraterreste de Vagina, perdão, Varginha, uma cidade brasileira, até então intocada pelos celestes seres.

É o regresso dos OVNIS, como nunca os vimos antes, porque nunca os vimos antes!

Ligue-se já ao Caso Varginha. Não fique alheio ao que se passa à sua volta.


Ao senhor Bowie

Dos transalpinos, uma dessas junções mui apreciadas, e ainda por cima todas disponíveis. Eis os Velvet Goldminers, italianos puros e duros. Tudo para descarregar.

6.11.04

Está na hora da caminha

Senhoras, senhores e criancinhas, está na hora de descobrir as mais belas canções de embalar: é só clicar aqui para ouvir e no bonequinho para ver...

The Innocence Mission: Now The Day Is Over

O meu Sonho .167

O meu Sonho era ter uma ascensão ao mesmo tempo social e meteórica.

Dá-lhe com os Marretas!

Os The Galarzas mandam daqui um saravá aos marretas, que ao fim de anos de blogagem... blogação... blogamento... enfim, whatever, foram oficialmente reconhecidos pela maior instituição cívica e cultural do mundo: os correios norte-americanos.

Caríssimos, aí estão os selos dos Marretas:



Coming... to a Post Office near you... in March 2005!

Oops... I did it again!



(lido na sala de espera da canalha do costume)

5.11.04

Comunicado do Comité Lateral: Até Logo!

Excelentíssimos i-leiteiros:

Mais uma vez a desgraça gástrica se abateu sobre esta espelunca que eu dirijo com tanto ardor e fastio. Alguns irmãos estão estendidos em Vale de Lençóis por via de uma merda (o sentido não é figurado) que lhes deu.

Assim sendo e por não ter melhor o que fazer, bazei. Pus-me a andar auto-estrada fora e fui a comer umas chouriças assadas com o Químico e um arroz de pato como não comia há muito tempo.

Nas próximas noites é bem provável que vá dormir com uma mulher diferente da habitual. Ou duas.

Não esperem por mim mas saibam que volto quando a situação me estiver de feição.

o Presidente Vitalício do Comité Lateral

E ele a vê-los passar

"Carlos Silvino tentou o suicídio quando tinha 14/15 anos de idade, mas há poucos detalhes sobre o acontecimento em si. Uma ex-colega de «Bibi» recorda-se da história ser contada «em segredo» pelo corredores do colégio e que ele terá justificado o acto com os maus-tratos e os abusos sexuais que sofria desde que tinha entrado na instituição.

Segundo as informações recolhidas pelo PortugalDiário, Carlos Silvino tentou atirar-se para a linha ferroviária, mas terá sido impedido a tempo. Mesmo nas traseiras do colégio onde esteve como aluno interno, Maria Pia, passam os comboios de Santa Apolónia."

TENTOU ATIRAR-SE PARA A LINHA FERROVIÁRIA. É linda. Primeiro, porque um gajo deve ter uma dificuldade do caraças em atirar-se para uma linha de comboio. Depois, percebe-se: a linha é ferroviária, não é de comboio. E o Bibi deve ter ficado com dúvidas, e lá chegou à conclusão que ali era para o suicídio dos letrados. As pessoas normais matam-se mesmo na linha do comboio.

Mas, mas... "mas terá sido impedido a tempo". Ora que porra, a tempo de quê? De estragar a linha? De se atrasar para o almoço? De ingressar no Benfica?

Mas há outros mistérios: "Carlos Silvino tentou o suicídio quando tinha 14/15 anos de idade, mas há poucos detalhes sobre o acontecimento em si."

Ora 14/15 dá 0,93. Ora, Silvino tentou matar-se aos 0,93 anos, isto é, antes dos 12 meses, mas lá quase. MAS, cuidado, ele NÃO TENTOU MATAR-SE. Ele "tentou o suicídio"! Ele acicatou, quiçá de forma libidinosa, o suicidio, que estava sossegadinho.

Ora, apesar desta proeza metafísica de Silvino, "há poucos detalhes sobre o acontecimento em si". Tomara se houvesse.

Telefonemas do Bensaúde, I

Telefonema do Bensaúde ao Nobre, depois de saberem a notícia do Arafat

- Tou?
- Mário?
- Quem é?
- O Jorge.
- Qual Jorge?
- Presidente.
- Sou eu, diga.
- Não. Eu é que sou o presidente.
- Ah! Também é. Diga lá meu amigo.
- Mas estás a ver quem é?
- Nem por isso. Mas diga lá.
- Bom. É por causa do Arafat.
- Sim, o presidente.
- Sou eu.
- Não, o Arafat.
- O Arafat não sou eu.
- Pois, olhe, eu estava aqui a passar pelas brasas. Importa-se de ligar para a fundação?
- Opá, o que é que eu hei-de fazer, ó Mário, ele era teu amigo, pá.
- Otelo?
- Otelo?!
- Sim, dois "pás" na mesma frase...
- Não, sou o Presidente.
- Pois não é. O presidente sou eu.

Morte cerebral

4.11.04

F méride

De mansinho, enquanto estávamos todos distraídos a olhar pró outro lado do Atlântico, esta berlonga lá passou os trinta.
Mil.
Como disse um dia o Beethoven ao ouvir a sinfonia da Banana, é obra.

E o elefante pisou o burro

Durante meses, dezenas de artistas norte-americanos deram a cara pela luta anti-Bush: desde o movimento Vote For Change, que reuniu as vozes de Bruce Springsteen, Pearl Jam, R.E.M. e Ben Harper, até às edições individuais que soaram a urgente durante todo o ano (American Music Club, Lali Puna...), passando pelos muitos que aproveitaram para dizer de sua justiça (Moby, Marilyn Manson, Bob Dylan...).

Durante meses, deram concertos com o punho erguido, editaram álbuns com mensagem, escreveram canções de raiva, criaram vídeos onde as imagens acrescentam mais achas para a fogueira...

E no fim, perdeu-se a luta...

Quem melhor escreveu a desilusão foi Moby: «if you need us, my friends and i will be drunk for the next 4 years»...

Associando-se ao luto norte-americano, os The Galarzas recuperam dois dos mais aguerridos vídeos que antecederam a eleição do cowboy W - para que, durante os próximos quatro anos, ninguém se esqueça como «a maior democracia do mundo» funcionou:

Mosh (Eminem):

Mosh (Windows Media Player)

Counting Bodies Like Sheep To The Rhythm Of The War Drums (A Perfect Circle):

Counting Bodies Like Sheep To The Rhythm Of The War Drums (Real Player)

Sound bytes

«And so the country, intoxicated from euphoric relief that the process of ending this medieval campaign of quadrennial election torture has at last begun, but still not sure when it will end, continues to stare at the television, waiting for it to tell us what to think.»

«(...) the President stares at the TV from the White House, waiting for the media to crown him Chief. We the people, like the President, are all sheep, who fall asleep, as the television blinks.»

(in Sounds Like Chicken)

Por falar em rato...

Anúncio num jornal:

RATIBROM 2
MATA RATAZANAS E RATOS

O RATICIDA (ISCO FRESCO) nº1 NA CE.
À venda nas boas casas da especialidade.
Contém repelente para Crianças, Cães e Gatos.

RATIBROM 2
Produtos Kollant

(in Tabaco Só Ao Balcão)

O meu Sonho .166

O meu sonho pariu um rato.

3.11.04

ÚLTIMA HORA: A foto da Vitória

Os The Galarzas conseguiram ter acesso ao primeiro instantâneo da equipe de George W. Bush após o discurso de derrota de John Kerry. Instantâneo esse que, sem pudor nem medo de repressões, agora revelamos. Da esquerda para a direita: Dick Cheney, Donald Rumsfeld, John Ashcroft e George W. Bush.

Note-se que a foto foi tirada sem aviso - os protagonistas não tiveram tempo para retocar a sua imagem. Pedimos ainda desculpa pelo facto da iluminação da foto não ser a melhor, o que poderá causar qualquer tipo de ilusões de óptica.

Dick Dalton, Donald Dalton, John Dalton & George W Dalton

«4 More Years»

Tem razões para estar contente, o senhor Bush: pela primeira vez, George W. foi eleito Presidente dos Estados Unidos da América.

Yee-pee-kay-hey, mothafucka!

É demasiado mau para se dizer que cada país tem o Presidente que merece. Da primeira vez foi um roubo, um erro, uma fraude, um engano, um negócio. Mas desta vez não há dúvidas: a América escolheu o analfabeto burro-que-nem-uma-porta, o fantoche da extrema direita, o homem que deitou tudo a perder. Também hoje, as palavras de Neil Armstrong vêm a propósito: «a small step for men, a giant leap for mankind» - só que ao contrário...

O meu Sonho .165

O meu sonho perdeu a validade.

O meu Sonho .164

O meu Sonho era poder entrar nos eixos.

Teatro Nacional da Molvanîa Arde em Defesa da Constituição.

Os actores do Teatro Nacional da Molvanîa barricaram-se ontem e provocaram um incêndio na sua residência oficial, na capital Lutemblag, num protesto contra uma medida que consideravam inconstitucional que estaria a ser planeada pelo director-geral da vetusta casa de espectáculos.

Segundo os protestantes, o director-geral, Grujagj Bluuef, teria feito circular um memorando em que sugeria, “despoticamente”, que em todas as peças e espectáculos da companhia fossem utilizadas três letras de um rol que o Pai da Molvanîa Moderna retirou ao alfabeto molvano nos anos 30.

Os artistas acusam o seu director-geral de, inconstitucionalmente, querer introduzir as letras, gràja, dójdój e hun (sem paralelo nos alfabetos ocidentais), que o antigo Primeiro Ministro Busj-Busj havia extirpado do velho alfabeto medieval, no que foi ao tempo uma das suas mais celebradas medidas de renovação constitucional.

Ontem pela manhã, artistas e operários do Teatro Nacional da Molvanîa reuniram-se em plenário, tomaram de assalto o famoso teatro e, depois de roubarem dos armazéns algumas caixas de whisky, (geralmente o whisky destilado na Molvanîa ronda os 70º de teor alcólico), beberam e acidentalmente provocaram o incêndio que destruiu parcialmente a área administrativa, armazém e camarins.

As autoridades já fizeram saber que, em memória a Busj-Busj, o idolatrado antigo Primeiro Ministro, o director-geral Grujagj Bluuefserá severamente demitido”.

Ghàstèl de Souza - correspondente dos The Galarzas em Lutenblag

E prontos!

Já está.

Isto está lindo...



Veja aqui os Resultados Eleitorais.

Doping nas eleições

Ora não é que o W andou sempre com o auricular durante os debates?! Ou isso, ou tem uma placa de chumbo na coluna. É isso que se pode ver nas fotografias que a Mother Jones exibe no seu site. Hehehe!


A esta hora, perto das duas da matina, a vizinhança já se foi deitar. Continua acesa a eterna luz de cozinha do 7º andar, ali no prédio da frente, e, do outro lado da estrada, há o quinto esquerdo, também iluminado até meio da madrugada. O habitual. Entretanto, a RTP e a SIC começaram há coisa de uma hora com as suas emissões especiais sobre as eleições dos EUA. As cadeias internacionais de notícias estão também em algazarra, valendo já um prémio ao sessentão jornalista da BBC que, num cenário virtual, vai pisando os Estados Unidos, de forma alegre, enquanto anuncia mais uma vitória de Bush ou Kerry.

O senhor Delgado, que está na SIC Notícias, está para ali a dizer que estes resultados, até agora, já permitem antever uma vitória de W Bush.
Na BBC, um comentador que desconheço o nome, mas que me inspira mais credibilidade que o senhor Delgado, fez um comentário notável: "Não vale a pena comentar estes resultados. Estes estados não são indicativos de nada. É como trocar peões num jogo de xadrês". O senhor Delgado, como se vê, está subestimado na SIC Notícias. Nem o Aaron Brown, da CNN, se arrisca a dar a vitória ao W.

Quanto a esperanças, esperamos que saia daqui um aborto. Neste caso, chamado reeleição.

Entretanto, a Slate dá como vencedor John Kerry. Mas a Slate é da Microsoft, e a Microsoft é do Bill Gates, que apoia o Kerry. A ver, a ver...

2.11.04

O quotidiano diário de Mário Malta

2 de Novembro

«Esteja atento ao destino do combóio», exorta o painel electrónico.
Assim farei. Daqui a muitos anos, um pedaço desta máquina entretanto desmantelada poderá tornar-se um talher à minha mesa. Organizarei então um almoço volante em sua honra.

A Audição

Amanhã vai ser um dia muito diferente de hoje. Amanhã vou para o emprego, não vou ficar em casa o dia todo a ouvir martelos, berbequins e outras ferramentas a esburacar-me a casa. Não, amanhã vou ouvir estas coisas para outro lugar.

Já fiz

Já fiz o exercício ali debaixo, proposto pelo Primo Galarza e, segundo o que vem lá escrito, eu sou um fenómeno: atingi a marca de 19.381 segundos.

ÚLTIMA HORA: A manchete de amanhã da BBC

Como resultado de uma estrondosa investigação e de aturadas negociações com as nossas fontes, os The Galarzas conseguiram descobrir a manchete de amanhã do site noticioso da influente BBC. Ela aí está:

Nader elected US President

Nota: os The Galarzas não se responsabilizam. Por nada.