8.11.04

Xeque-Mate

O jovem Zharkhos grunhia enterrado na poltrona enquanto movia os pequenos bonecos pretos, pensativo, furioso.
Laika, a cadela ladina, latia à sua volta, saltava e arfava com alegria.
A dona Alzira movimentava a Torre, displicente, pensando no refogado para o arroz mlandrinho.

Zharkhos esboça um sorriso irónico. Movimenta a Rainha para uma casa de muito má fama, inadvertivamente, sem suspeitar da cilada que lhe estava armada pela gerência.

Laika corre ansiosa pela casa toda.

Dona Alzira, com o pensamento completamente voltado para o bacalhau com arroz, tem súbitamente um rasgo, salta no tabuleiro e ruge para o jovem adversário: Xeque-Mate!