3.11.04

Teatro Nacional da Molvanîa Arde em Defesa da Constituição.

Os actores do Teatro Nacional da Molvanîa barricaram-se ontem e provocaram um incêndio na sua residência oficial, na capital Lutemblag, num protesto contra uma medida que consideravam inconstitucional que estaria a ser planeada pelo director-geral da vetusta casa de espectáculos.

Segundo os protestantes, o director-geral, Grujagj Bluuef, teria feito circular um memorando em que sugeria, “despoticamente”, que em todas as peças e espectáculos da companhia fossem utilizadas três letras de um rol que o Pai da Molvanîa Moderna retirou ao alfabeto molvano nos anos 30.

Os artistas acusam o seu director-geral de, inconstitucionalmente, querer introduzir as letras, gràja, dójdój e hun (sem paralelo nos alfabetos ocidentais), que o antigo Primeiro Ministro Busj-Busj havia extirpado do velho alfabeto medieval, no que foi ao tempo uma das suas mais celebradas medidas de renovação constitucional.

Ontem pela manhã, artistas e operários do Teatro Nacional da Molvanîa reuniram-se em plenário, tomaram de assalto o famoso teatro e, depois de roubarem dos armazéns algumas caixas de whisky, (geralmente o whisky destilado na Molvanîa ronda os 70º de teor alcólico), beberam e acidentalmente provocaram o incêndio que destruiu parcialmente a área administrativa, armazém e camarins.

As autoridades já fizeram saber que, em memória a Busj-Busj, o idolatrado antigo Primeiro Ministro, o director-geral Grujagj Bluuefserá severamente demitido”.

Ghàstèl de Souza - correspondente dos The Galarzas em Lutenblag