15.11.04

Poema de: Idálio Juvino

Fica tudo como era dantes?
Cada um por seu lado
A comer a medida quotidiana
E a carpir, a lamentar e a sorrir
De um desdém às coisas rituais
Que nunca chegaram a ser cumpridas

Moldando os sentimentos
Num barro descrito
Em palavras impróprias
Que se esboroam

Idálio Juvino, Pontapé na Temática, Editora do Galpão, Vila Nova da Barquinha 1994