1.11.04

Os insucessos comunicacionais de Juvenal Mazelas

Num bar, tentando a sua sorte:

- Boa noite, menina, permita observar que tão formosa donzela mereceria local mais requintado, quiçá drapejado de seda e luminado com etéreos candelabros esculpidos em prata.

- Hã?

- Julgo que seria benéfico para ambas as partes trocar séries de algarismos que nos viessem a permitir manter contacto telefónico de modo a aprofundar em local mais recatado um conhecimento mútuo.

- Que é que este gajo... Chauzinho, ó doutor.

- (...) suspiro...