7.11.04

Cigarro Molhado

«A cultura é um dado universal e tudo o que o homem acrescenta à Natureza é cultura, toda a obra do homem é cultural. Porém, os homens não acrescentam coisas à Natureza da mesma maneira: cada grupo tem a sua forma peculiar de acrescentar, de transformar. Daí o facto de existirem culturas particulares, descontinuidades significativas da cultura como dado geral da humanidade.

A cultura não é geneticamente transmitida, mas herdada socialmente.

Existe uma certa interinfluência entre os mundos do biológico e do cultural: por exemplo, na cultura portuguesa sentimos fome a determinadas horas porque se convencionou comer naquelas mesmas horas.

Embora as culturas sejam diferentes e diferenciadas, há contudo factos culturais universais que nos fazem pensar em tendências absolutas do homem para se comportar de determinada forma, muito perto do biológico: abrigo, vestuário, procura de alimentos, proibição do incesto, etc.

Existem duas esferas intimamente ligadas ao Homem: a da cultura, acervo de coisas fisicamente refenciáveis ou não (as ideias, os símbolos, as abstracções, etc.) e a das relações sociais concretizadas pelos objectos culturais (lato sensu). Não há homem sem cultura nem cultura sem sociedade; porém, a sociedade é "mais qualquer coisa do que a soma dos indivíduos".»

Augusto Mesquitela Lima, Benito Martinez e João Lopes Filho, Introdução À Antropologia Cultural, Editorial Presença, 7ª Edição, Lisboa 1987